Total de visualizações de página

quarta-feira, 31 de dezembro de 2008

Os números de Juan no Brasileirão

Veja os números de Juan no Brasileirão de 2008, LANCEPRESS! - Lateral foi uma das principais armas do Flamengo em 2008


Não foi à toa que ele foi eleito o melhor lateral esquerdo do campeonato. Desde 2006 que Juan vem honrando a tradição do Flamengo de ter ao longo de sua gloriosa história jogadores canhotos de grande talento.

terça-feira, 30 de dezembro de 2008

Fleitas Solich - o Feiticeiro



Fleitas Solich
De Flapédia

Página com informações do técnico Fleitas Solich

Biografia
Contratado pelo então recém-eleito Gilberto Cardoso e também conhecido como "O Feiticeiro", assumiu o time em 1953, que já tinha uma base formada pelo seu antecessor, Flávio Costa. A base consistia em: Garcia (goleiro), Pavão, Jadir e Jordan (zagueiros), Dequinha (armador), Joel, Índio e Benítez (atacantes). Mas o principal jogador e ídolo do time era Rubens, sucessor de Zizinho.

Fleitas Solich implementou um futebol ágil e solidário, o que acabou atrapalhando Rubens, que tinha um futebol mais "preso" e individualista. Então, optou por peneirar novos talentos entre a garotada e buscar jogadores mais leves e modernos.

Em pouco tempo, ele revelaria jogadores que entrariam para a história do Flamengo: Dida, Zagallo, Evaristo, Paulinho, Duca e Babá. Jogadores que se tornariam peças chave no tricampeonato carioca, de 1953/54/55.

Fleitas Solich, foi o segundo técnico que mais comandou o Flamengo no futebol, só ficando atrás de Flávio Costa. E foi o terceiro técnico que mais conquistou títulos oficiais na história do futebol do Flamengo, foram cinco.

Títulos no Flamengo
Campeonatos Estaduais (1953, 1954 e 1955)
Torneio Rio-São Paulo (1961)
Taça dos Campeões Estaduais Rio São Paulo (1956)

Números

Técnico Jogos Vitórias Empates Derrotas Aproveitamento
1953-1957 276 175 47 54 69,08%
1958-1959 90 53 18 19 65,56%
1960-1962 99 59 18 22 65,66%
1971 39 13 17 09 47,86%
Total 504 300 100 104 66,14%

Fonte: http://www.flamengo.com.br/flapedia/Fleitas_Solich

Veja os artilheiros do Flamengo na história

Rubro-Negro não tem um goleador de campeonato desde 2001
LANCEPRESS!

Os últimos anos têm sido estranhos para a torcida do Flamengo quando o assunto é artilharia. Acostumados a ver seus jogadores terminarem os campeonatos como os maiores goleadores, os rubro-negros têm saudades do passado.

O último artilheiro do Flamengo em uma competição foi Edilson em 2001 pelo Campeonato Carioca. Antes deles, outros jogadores fizeram história.

Em 1941, Pirilo marcou 39 gols no Campeonato Carioca. É o jogador do Flamengo que mais balançou redes em uma competição. Outro que se destacou foi Romário. Com a camisa rubro-negra, o atacante foi artilheiro de três Cariocas, duas Copas do Brasil, um Rio-São Paulo e uma Copa Mercosul.

Veja abaixo os artilheiros do Flamengo nas competições:

Campeonato Carioca
1914 - Riemer - 9 gols
1921 - Nonô - 11 gols
1923 - Nonô - 17 gols
1925 - Nonô - 29 gols
1934 - Alfredinho - 10 gols
1938 - Leônidas - 16 gols
1940 - Leônidas - 30 gols
1941 - Pirilo - 39 gols
1953 - Benitez - 22 gols
1955 - Paulinho - 23 gols
1972 - Doval - 16 gols
1973 - Dario - 15 gols
1975 - Zico - 30 gols
1977 - Zico - 27 gols
1978 - Zico e C. Adão - 19 gols
1979 Especial - Zico - 26 gols
1979 - Zico - 34 gols
1982 - Zico - 21 gols
1988 - Bebeto - 17 gols
1989 - Bebeto - 18 gols
1990 - Gaúcho - 14 gols
1991 - Gaúcho - 17 gols
1994 - Charles - 14 gols
1996 - Romario - 26 gols
1997 - Romario - 18 gols
1999 - Romario - 16 gols
2001 - Edilson - 16 gols

Roberto Gomes Pedrosa:
1967 - Ademar - 15 gols

Torneio Rio-São Paulo:
1959 - Henrique - 9 gols
1993 - Renato Gaúcho - 6 gols
1997 - Romario - 7 gols

Libertadores:
1981 - Zico - 11 gols
1991 - Gaúcho - 8 gols

Copa do Brasil:
1995 - Sávio - 7 gols
1998 - Romário - 7 gols
1999 - Romário - 7 gols

Campeonato Brasileiro:
1980 - Zico - 21 gols
1981 - Nunes - 16 gols
1982 - Zico - 21 gols

Copa Mercosul:
1999 - Romário - 8 gols

Mundial de Clubes:
1981 - Nunes - 2 gols

Fonte: http://www.lancenet.com.br/clubes/FLAMENGO/noticias/08-12-30/458331.stm?veja-os-artilheiros-do-flamengo-na-historia

Aniversário de uma conquista - Torneio Internacional do RJ (62)


Fonte da foto: http://www.flaestatistica.com/times1955.htm
O Flamengo encerrava o ano de 1955 conseguindo mais um importante triunfo. Desta feita, foi a conquista do Torneio Internacional do Rio de Janeiro. Para isso, o time desbancou duas poderosas equipes do futebol argentino. A presença nordestina foi marcante nessa conquista. Dos cinco gols marcados pelo clube, 2 foram do alagoano Dida, 1 do cearense Babá e 1 do pernambucano Duca. Não bastasse isso, o Flamengo tinha o potiguar Dequinha dando um toque de qualidade no meio de campo.

C.R. Flamengo 3 x 0 Independiente (Argentina)
Torneio Internacional do Rio de Janeiro
30/12 - Estádio: Maracanã - Rio de Janeiro
Time: Chamorro(Aníbal), Leone, Servílio, Jadir, Dequinha, Jordan, Milton Bororó, Duca, Henrique, Dida e Babá.
Gols: Milton Bororó, Dida e Duca.
(C.R. Flamengo Campeão do Torneio Internacional do Rio de Janeiro)

Fonte: http://www.flaestatistica.com/t1955.htm e www.flaestatistica.com

segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

Léo Moura: 'Meu contrato é de nível europeu'


Léo Moura tirou essa foto com uma iguana no sábado, em Natal (RN), onde passa férias (Crédito: Arquivo pessoal)

Satisfeito no Fla, lateral diz que só admitiria trocar o Rubro-Negro pela Europa

Cassius Leitão
RIO DE JANEIRO

Erich Onida
RIO DE JANEIRO

De 1999, quando iniciou sua carreira profissional, até 2004, Leonardo Moura jamais ficou num mesmo clube por mais de um ano. Bastou vestir a camisa do clube do coração para conseguir uma seqüência. Não à toa, este ano, foi convocado pela primeira vez para a Seleção Brasileira.

No Flamengo desde 2005, o lateral-direito, eleito o melhor da posição nos dois últimos Brasileiros, só admitiria trocar o Rubro-Negro pela Europa (onde jogou em três países) em caso de uma "proposta espetacular". Até porque sua renovação por mais três anos, segundo garante, foi nos moldes europeus.

Léo Moura, que curte férias em Natal (RN), concedeu essa entrevista ao LANCENET!. Confira na íntegra:

L!NET: Como analisa o ano de 2008 do Flamengo?
Leonardo Moura: O ano de 2008, mesmo sem a nossa classificação para a Libertadores, acredito que tenha sido positivo. É claro que não foi aquele ano que a gente queria, mesmo com o título carioca e com a liderança de boa parte do Brasileiro. Depois caímos um pouco, mas voltamos a estar ali na briga. Dá para tirar alguma coisa de positivo desse ano. Se o Flamengo tem um grupo forte e quer chegar, acho que consegue.

L!NET: Pode-se dizer que foi o seu melhor ano, por ter chegado à Seleção?
LM:Esse juntamente com o ano passado foram os meus melhores anos no Flamengo. Daqui para frente eu só tenho a crescer e continuar jogando bem. Acho que isso só vai acontecer com a ajuda dos meus companheiros. E para que isso aconteça, o Flamengo precisa de um grupo forte. Então, torço para que até o início do campeonato todos possam ficar para que a gente tenha um começo de ano forte e eu possa manter essa regularidade também.

L!NET: No Fla desde 2005, você foi campeão da Copa do Brasil em 2006 e do Carioca em 2007 e 2008, únicos títulos da sua carreira, que começou em 1999. O que projeta para 2009?
LM:Eu quero que o ano comece com o pé direito. Conquistando o título logo no primeiro campeonato já é muito importante, dá confiança. Além do Estadual, o Flamengo vai disputar a Copa do Brasil novamente, a Sul-Americana e o Brasileiro. Teremos grandes competiçõespara disputar e conquistar os títulos necessários. E a volta a Libertadores é o que a gente mais quer. Lógico que ainda está longe para se falar sobre Brasileiro, mas começando o ano com o título carioca será importante.

L!NET: Essa sua estabilidade no Rubro-Negro chega a impressionar. Você nunca ficou tanto tempo num mesmo clube... O fato de ser o clube do seu coração pesou?
LM:Pesou pelo clube e pelo momento. Já era a hora de eu optar. E o Flamengo é meu clube de infância, onde fui recebido de braços abertos por todos, sem exceção: porteiro, diretoria, técnicos, jogadores... Sem falar da torcida, que sempre teve um carinho imenso por mim, não só no Rio, mas onde eu vou. Tudo isso fez com que eu continuasse. E no momento que o meu contrato estava para acabar, agora, em 2008, eu já tinha renovado por mais três anos, até 2011. E esse contrato me dá ainda mais tranqüilidade. E isso pesa no momento de pensar em ir ou não para fora.

L!NET: O que esperar de Cuca à frente deste Flamengo?
LM:Nunca tive o prazer de trabalhar com o Cuca, só joguei algumas vezes contra. Mas pelo o que acompanho, é um grande treinador, de um potencial enorme e tenho certeza que chega ao Flamengo só para ajudar e buscar os títulos, como nós, jogadores.

L!NET: Você e Juan, hoje, foram a melhor dupla de laterais do futebol brasileiro? O time perde muito sem vocês...
LM:Falando da minha parte, fico muito feliz por isso, e acredito que o Juan também fique, porque quando você vê que os adversários se preocupam muito com você é sinal de que estamos dando conta do recado, fazendo por onde, e de que é importante para a equipe. Sei que a nossa importância no Flamengo é grande, mas fico triste porque não podemos ficar só dependentes dos laterais, e sim do time todo. E às vezes víamos um jogo, quando eu ou o Juan não jogava, que o time sentia um pouco. Então, isso tem que começar a mudar, precisa ser diferente.

L!NET: Você foi eleito o melhor lateral-direito dos últimos dois Brasileiros. O que falta para se firmar na Seleção Brasileira?
LM:Falta oportunidade. Na que eu tive mostrei que tenho condições de jogar na Seleção, fiz por onde estar lá e quando estive tenho certeza de que não decepcionei. Mas vou continuar trabalhando para que outras chances apareçam. E fico feliz de mais um ano ter recebido esse prêmio como melhor lateral-direito dentre tantos bons valores da posição. É um motivo de orgulho. E mais ainda de mostrar que tenho potencial para pegar uma Seleção novamente, respeitando sempre, é claro, a opção do treinador.

L!NET: Maicon, Daniel Alves e Rafinha estão num nível acima do seu? Fale um pouco sobre os três.
LM:São três jogadores de grande potencial. Eu estive com o Rafinha na Seleção. Nesse jogo para o qual fui convocado, contra a Irlanda, eu até fui titular e ele ficou como reserva. O Maicon é um lateral que tem se destacado no seu time, assim como o Daniel, que já se destacou no Sevilla e hoje está no Barcelona. Acredito que a escolha para o treinador seja muito difícil. É lógico que ele vai convocar quem estiver melhor no momento, Não posso ficar aqui lamentando se não fui convocado. Tenho é que trabalhar mais ainda para que a oportunidade apareça novamente, para eu mostrar mais uma vez para Dunga e Jorginho que eu mereço estar na Seleção.

L!NET: Você já teve passagens por Bélgica, Holanda, ainda bem jovem, e por Portugal, mais recentemente. O que faltou para vingar no futebol europeu? Ainda é um sonho voltar e jogar num grande clube da Europa?
LM:Foram momentos distintos da minha vida. Fui para a Europa com 18 anos, voltei com 21. Depois, fui só em 2005 para Portugal, onde as coisas não aconteceram do jeito como planejei. Por isso retornei para o Brasil. Mas hoje só saio daqui se for por uma coisa que seja muito especial, espetacular, porque o contrato que tenho com o Flamengo é um contrato de Europa. Estou estabilizado aqui, perto da minha família, da minha noiva... Mesmo com a distância, perto da minha filha. Para sair daqui, só com uma coisa que valha muito a pena.

L!NET: Enquanto todos estão contratando, o Flamengo até agora só fechou com dois jogadores do Santo André. Por outro lado, está conseguindo manter a base. Assim, pode-se dizer que o time é o favorito para o Carioca?
LM:Não podemos pensar como favoritos, não. Sempre quando um time entra desta forma, sempre se complica. O Flamengo tem que entrar com o pensamento de conquistar os títulos, para se tornar ainda mais forte nos campeonatos seguintes, tendo ainda mais respeito dos adversários.

L!NET: Como analisa as equipes que os rivais do Rio estão montando? Tem acompanhado a movimentação do mercado?
LM:Mesmo com toda dificuldade financeira que o país enfrenta hoje, os clubes estão procurando, dentro dos seus limites e possibilidades, contratar. O Fluminense está tentando, correndo atrás; o Botafogo está trazendo excelentes jogadores, como o Reinaldo; o Vasco procura da sua forma contratar, com as dificuldades por ter caído para a Segunda Divisão do Brasileiro; e o Flamengo trouxe um novo treinador e mais dois jogadores. Mas é o que eu sempre digo: não adianta trazer um bando de jogador, mas para a posição que precisa realmente não ter ninguém. As contratações precisam ser certas, pontuais, para as posições que verdadeiramente necessita de grandes jogadores, porque isso aqui é Flamengo.

L!NET: Qual é o grande clube do futebol brasileiro hoje? Por quê?
LM:Sem dúvida alguma que hoje, mesmo com as dificuldades, clubes como São Paulo e Cruzeiro têm caixa, até porque também vendem. Então, isso se torna mais fácil para o clube, além do marketing e outras vias de entrar dinheiro no clube. Os clubes do Rio precisam se estruturar desta forma, para que não passem dificuldades financeiras como às vezes acontece. Clubes como os que citei estão na frente porque se preparam.

L!NET: Fale um pouco da sua passagem pelo São Paulo, em 2003.
LM:Fui titular com o Oswaldo, disputei o título do Paulista e ficamos com o vice-campeonato, e logo depois eu me machuquei, tive um problema no púbis. E como estava longe da família, achei melhor voltar para o Rio. Com esse pensamento ainda surgiu a proposta de vir para o Fluminense, com a indicação do Romário. E com o time que estavam montando foi interessante para mim. Por eu ter passado pelo momento mais difícil da minha carreira, que foi essa lesão, já querendo voltar para o Rio, juntando com esse convite do Romário e do Celso Barros (presidente da Unimed), duas pessoas pelas quais tenho um enorme carinho e um agradecimento até hoje. Então, não pensei duas vezes.

LNET: Você recebeu uma proposta do Palmeiras nesse fim de ano. Não o agradou?
LM:Houve o convite, não posso negar. E fico feliz por ter recebido esse convite do Vanderlei e do Palmeiras. Mostra que meu futebol tem agradado. Mas no primeiro momento que chegou ao ouvido do Kléber Leite, ele nem pensou duas vezes e não quis me negociar. Mesmo assim, fiquei satisfeito pelo carinho e pela admiração que meu trabalho proporcionou.

Fonte: http://www.lancenet.com.br/clubes/FLAMENGO/noticias/08-12-29/457732.stm?leo-moura-meu-contrato-e-de-nivel-europeu

sábado, 27 de dezembro de 2008

Aniversário de uma conquista - Taça Jornal Folha do Norte (61)

Há passados 93 anos, o Flamengo em excursão pelo norte do Brasil, venceu a Seleção de Belém do Pará e conquistou o terceiro título de sua história no futebol. O time bicampeão estadual de 1915 e 1916 esteve com vários jogadores participantes dessa conquista.

Os campeões foram os seguintes:

C.R. Flamengo 5 x 1 Seleção de Belém (PA)
Taça Jornal Folha do Norte - Belém - PA
27/12 - Estádio: ? - Belém - PA
Time: Baena, Píndaro, Nery, Cuthberth, Galo, Antonico, Curiol, Juvenal, Welfare, Batista e Paulo Buarque.
Gols: Welfare(3), Galo e Juvenal.
(C.R.Flamengo - CAMPEÃO)

Fontes: http://www.flaestatistica.com/t1915.htm e http://www.flamengo.com.br/flapedia/Ta%C3%A7a_Jornal_Folha_do_Norte

quarta-feira, 24 de dezembro de 2008

O surgimento do Departamento de Futebol

A Oficialização do Futebol

O futebol do Flamengo é dissidente do Fluminense. Em 1911, o tricolor estava às vésperas do título carioca, mas, atravessava grave crise interna.

O capitão do time, Alberto Borgeth (o mesmo que remava pelo Flamengo), se desentendeu com os dirigentes e, depois de conquistado o campeonato, liderou um movimento de saída das Laranjeiras.

Dez jogadores campeões deixaram o Fluminense: Othon de Figueiredo Baena, Píndaro de Carvalho Rodrigues, Emmanuel Augusto Nery, Ernesto Amarante, Armando de Almeida, Orlando Sampaio Matos, Gustavo Adolpho de Carvalho, Lawrence Andrews e Arnaldo Machado Guimarães.

Dia 8 de novembro, foi aprovado o ingresso dos novos sócios. Os remadores do Flamengo, porém, não eram favoráveis à dedicação oficial do clube rubro-negro ao futebol, caso que estava sendo analisado por uma comissão da qual o líder era justamente Alberto Borgerth. Mas não teve jeito mesmo. Em assembléia realizada no dia 24 de dezembro de 1911, o Flamengo criou oficialmente o seu time de futebol, sob a responsabilidade do Departamento de Esportes Terrestres.

Fonte: http://www.campeoesdofutebol.com.br/historia_flamengo.html

Zico: O gol ainda está grande pra mim



Galinho comemora atuação de gala no 'Jogos das Estrelas' e diz que convidados facilitaram seu trabalho

Cahê Mota
Rio de Janeiro
Tamanho da letra
A- A+

Dono da festa fora de campo e do espetáculo dentro dele, Zico, 55 anos, era só sorrisos nesta terça-feira após mais um "Jogo das Estrelas", organizado por ele no Maracanã. Autor de três gols na vitória por 9 a 7 de sua equipe sobre o time das estrelas, o maior artilheiro da história do Flamengo dividiu o mérito de mais um show de bola no estádio em que consagrou com os companheiros e disse que até os adversários ajudaram.

- O gol ainda está grande para mim. A gente nunca esquece. O pessoal é amigo e facilita um pouco (risos). É bom ver várias gerações se encontrando. Um foi ídolo do outro e todos têm alegria e satisfação em estar aqui.



Um dos que facilitaram a vida do Galinho foi Vampeta. O campeão mundial pelo Brasil em 2002 ficou frente a frente com Zico dentro da área e desistiu da marcação. Atitude que garantiu mais um gol do dono da festa e o carimbo no convite para 2009.

- Ele parou e ainda falou: "Vai que a festa é tua". Esse convidado é bom, já é nome certo para o ano que vem (risos).

Fonte: http://globoesporte.globo.com/Esportes/Noticias/Futebol/0,,MUL933991-9825,00.html
Por fim, Zico comemorou mais uma edição bem sucedida do "Jogo das Estrelas".

O evento, que foi realizado pela segunda vez no Maracanã, arrecadou donativos para as vítimas das enchentes em Santa Catarina.

- Quero agradecer a todos. Artistas, músicos, pilotos de Fórmula 1, autoridades, torcida, imprensa... Voltamos para casa com as baterias recarregadas na esperança de um Feliz Natal e um ótimo 2009 para todos.

terça-feira, 23 de dezembro de 2008

Bruno - o goleiro artilheiro


Bruno Fernandes Souza
De Flapédia

Biografia

Bruno, revelado no Atlético MG, chegou ao Flamengo depois de passagem pelo Corinthians, onde não teve oportunidades. Seu passe pertence ao fundo de investimentos MSI e o jogador tinha contrato de empréstimo no Rubro-Negro até o final do ano de 2007. Em 2008, o Flamengo comprou parte dos direitos econômicos do jogador.

Bruno chegou para ser reserva de Diego, mas o goleiro titular se machucou, e Bruno entrou para substituí-lo. Desde então, não largou mais a camisa 1 do Mengão. Com boas saídas de bola e grandes defesas, goleiro ganhou status de ídolo da torcida.

A média de gols sofridos pelo goleiro é de um pouco mais de 1 gol por partida, mas Bruno queria também mostrar sua capacidade em fazer gols.

Sua primeira chance ocorreu logo em um jogo da Libertadores. No último jogo da fase de grupos ele marcou o seu primeiro gol na carreira que abriu o caminho para a vitória contra o Coronel Bolognesi. Ainda 2008 o goleiro viria a marcar o seu segundo gol na carreira, dessa vez de penalti, se isolando assim na lista de goleiros artilheiros da história do clube.

Dados
Nome Completo: Bruno Fernandes das Dores de Souza
Dia do Nascimento: 23 de Dezembro de 1984(23-Predefinição:Pad2digit-Predefinição:Pad2digit) (24 anos)
Nascimento: Belo Horizonte (MG)
Altura: 1,90m
Peso: 87 kg
1° jogo: 02/09/2006 (Flamengo 1 x 2 Internacional)


Histórico
Anos Time
2005-2006 Atlético MG
2006 Corinthians
2006-2008 Flamengo

Títulos
Títulos pelo Fla
Taça Guanabara de 2007
Campeonato Carioca 2007
Taça Guanabara 2008
Campeonato Carioca 2008
Estatísticas
Ano Jogos Gols Sofridos Média Gols Marcados Assistências Cartões Amarelo Cartões Vermelho
2006 18 27 1,5 1 0
2007 58 77 1,33 3 0
2008 62 73 1,18 2 1 5 0
Total 138 176 1,27 2 1 9 0

Registros
Máximo de jogos seguidos sem tomar gol: 3 jogos [1 vez]
Máximo de gols no mesmo jogo: 5 gols [1 vez]
Quantidade de jogos sem sofrer gol: 42 jogos


Última Atualização: 8 de Dezembro de 2008

Fonte: http://www.flamengo.com.br/flapedia/Bruno_Fernandes_Souza

segunda-feira, 22 de dezembro de 2008

Aniversário de uma conquista - Estadual de 1974 (60)


Fonte da Foto: http://www.flaestatistica.com/times1974.htm

A 69ª edição do Campeonato Carioca foi vencida pelo Flamengo, ganhador do terceiro turno do campeonato. Um fato importante foi o público do jogo final que é até hoje o oitavo maior público da história do futebol, quinto maior entre clubes e na época o segundo maior da história do Flamengo. Foi neste campeonato que Júnior, ídolo rubro-negro, marcou seus primeiros gols como profissional.

Campeonato Carioca de Futebol de 1974
Participantes 12
Período 2 de agosto - 22 de dezembro
Campeão Flamengo
Vice-Campeão Vasco
Artilheiros Luizinho Lemos (América): 20 gols
Maior Público Flamengo 0x0 Vasco: 165.358 pagantes

Equipes participantes
América
Bangu
Bonsucesso
Botafogo
Campo Grande
Flamengo
Fluminense
Madureira
Olaria
Portuguesa
São Cristóvão
Vasco da Gama

Fórmula de disputa

Campeonato contou com 3 turnos, o primeiro seria a Taça Guanabara onde os 12 clubes jogariam entre si, então os 8 melhores disputariam da mesma maneira o segundo e terceiro turno, havendo no final um triangular entre os campeões de cada turno.

C.R. Flamengo 0 x 0 Vasco da Gama (RJ)
Triangular Final - A última partida
22/12 - Estádio: Maracanã - Rio de Janeiro
Time: Renato, Júnior, Jaime, Luís Carlos, Rodrigues Neto, Zé Mario, Paulinho, Geraldo, Edson, Zico e Julinho(Ivanir).
( C.R. Flamengo - Campeão Carioca)
Público: 165.358

Fonte: http://www.flamengo.com.br/flapedia/Campeonato_Carioca_1974

Classificação final:

CLUBE P J V E D GP GC SG
1º Flamengo 39 27 15 9 3 42 21 +21
2º Vasco 38 27 15 8 4 43 28 +15
3º América 39 27 18 3 6 47 26 +21
4º Botafogo 30 25 10 10 5 37 24 +13
5º Fluminense 29 25 11 7 7 30 17 +13
6º Bonsucesso 20 25 6 8 11 19 27 -8
7º Madureira 17 25 5 7 13 23 38 -15
8º Campo Grande 17 25 3 11 11 13 28 -15
9º São Cristóvão 7 11 2 3 6 4 16 -12
10º Portuguesa 6 11 1 4 6 3 11 -8
11º Olaria 5 11 2 1 8 8 17 -9
12º Bangu 3 11 0 3 8 2 18 -16

Legenda: P - pontos ganhos, J - jogos, V - vitórias, E - empates, D - derrotas,
GP - gols pró, GC - gols contra, SG - saldo de gols

Fonte: http://www.campeonatocarioca.kit.net/primeira_divisao/temporadas_anteriores/1974.htm

Foi a conquista que marcou a afirmação de Zico como novo ídolo da Gávea. Com 19 gols do Galinho (ele quebraria naquele ano o recorde de gols de um jogador do Fla em uma só temporada, 49), o Mengão faturou a taça após um emocionante triangular contra América e Vasco. No jogo decisivo, o Fla segurou de forma dramática um empate sem gols com o time de São Januário. Foi um prêmio para o técnico e ex-jogador Joubert, que promoveu da base futuros ídolos como Júnior, Rondinelli, Jaime e Geraldo.
Time-base: Renato; Júnior, Jaime, Luís Carlos e Rodrigues Neto; Liminha, Zé Mário e Zico; Paulinho, Doval e Édson. Técnico: Joubert.

Fonte: http://www.lancenet.com.br/hotsite/flamengo2008/30titulos.stm

Charles Guerreiro - jogador raçudo e campeão


Charles Guerreiro

Charles Natali Mendonça Ayres

Biografia

Charles atuou por vários clubes brasileiros, incluindo Remo, Paysandu, Ponte Preta e Guarani, porém, foi no Flamengo que o jogador viveu seus melhores momentos na carreira. Conhecido como Guerreiro, chegou ao Fla em 1991 como contrapeso da troca feita entre o Rubro Negro e a equipe Bugrina na troca envolvendo o meia Aílton e Toninho, que não vingou na Gávea enquanto Charles virou ídolo da torcida.

Jogando ao lado de Júnior, o lateral teve a oportunidade de conquistar o Campeonato Carioca de 1991 e o Campeonato Brasileiro de 1992. A fase no Flamengo foi tão especial, que o jogador chegou inclusive a ser convocado para ocupar a lateral da seleção brasileira em um amistoso, em Londres, contra a Inglaterra.

No total, de 1991 a 1995, ele disputou 251 jogos com a camisa rubro-negra e marcou apenas dois gols. Aliás, a pontaria ruim de Charles foi um capítulo à parte em sua história no Flamengo, virando motivo de brincadeira por parte dos torcedores e da imprensa carioca.

Muitos anos depois, mais precisamente em 2002, de volta ao Pará, encerrou sua carreira atuando pelo Remo. Em 2006, iniciou carreira como treinador de futebol no comando do modesto Ananindeua.

Em 2008, foi o técnico da modesta equipe de Cardoso Moreira, que participou do Campeonato Carioca.

Dados
Nome Completo: Charles Natali Mendonça Ayres
Apelido: Charles Guerreiro
Data de Nascimento: 22 de Dezembro de 1963
Local: Belém (PA)
Posição: Lateral-Direito
Nº Jogos: 251
N º Gols: 2

Histórico
Anos Time
1991-1995 Flamengo

Títulos
Pelo Flamengo
Campeonato Carioca: 1991
Taça Guanabara: 1995
Taça Rio: 1991
Campeonato Brasileiro: 1992

Estatísticas
Ano Jogos Gols Marcados
1991 67 0
1992 54 0
1993 43 0
1994 50 0
1995 43 2
Total 251 2

Retirado de "http://www.flamengo.com.br/flapedia/Charles_Natali_Mendon%C3%A7a_Ayres"

O polivalente Charles Guerreiro, ex-jogador do Remo, Ponte Preta, Guarani, Paysandu, Flamengo e seleção brasileira, vive atualmente em Belém, no Pará, e é técnico de futebol. Em 2006, ele assumiu o comando técnico do Ananindeua. Em 2008, passou a dirigir o Cardoso Moreira, modesto time carioca que subiu da Série B do campeonato estadual em 2007. "Encerrei minha carreira em 2002. Estava jogando no Remo", diz Charles Guerreiro, que não esquece os tempos de Flamengo.

"No Flamengo, eu vivi o melhor momento da minha carreira, chegando até na seleção", conta Charles Guerreiro, que lembra com carinho de ex-companheiros de Fla.

"O Mestre Júnior (o Capacete) e o Gilmar (Rinaldi) foram dois dos grandes amigos que eu tive no Flamengo. Eles me ajudaram muito. Não era fácil um jogador do futebol do norte, com passagens pelas equipes de Campinas, ter sucesso no Flamengo", diz Charles.

O ex-goleiro Gilmar Rinaldi, hoje empresário, não sempre "pegou no pé" de Charles, seu ex-companheiro de quarto. "Eu sempre fazia o Charles ficar treinando chutes a gol depois dos treinos do Flamengo. Pena que ele mandou aquela bola no placar no jogo contra a Inglaterra, depois de ter feito uma linda jogada", fala Gilmar, referindo-se a um amistoso da seleção brasileira.

Charles retruca: "Teve o lado positivo de chutar a bola pra fora. Ela caiu nos braços da rainha da Inglaterra", brinca Charles.

por Rogério Micheletti

Fonte: www.miltonneves.com.br seção que fim levou de 17/06/2008.

JÓIAS 2009: torcedor de carteirinha, Fabrício tenta seguir os passos de Juan




Fabrício mostra a faixa de campeão juvenil
Fabrício mostra a coleção de medalhas nos dez anos de Flamengo
Vicente Seda /Divulgação

Aos 18 anos, zagueiro volta ao Flamengo depois de uma passagem de sucesso no Paraná

Eduardo Peixoto
Rio de Janeiro
Tamanho da letra
A- A+

O presidente Marcio Braga deu a senha: “É hora de subir os garotos porque eles entendem o que é o Flamengo”. O recado chegou e Fabrício apressou-se em vestir a camisa e levantar o dedo. Aos 18 anos, o zagueiro mistura as qualidades de um zagueiro promissor com o comprometimento de um torcedor fervoroso do time.

Em 2007, então nos juniores do Rubro-Negro, o jogador saía de casa sozinho, em Niterói, e ia de ônibus ao Maracanã. Ele era sócio da principal torcida organizada do clube.

- Aquela arrancada que o time deu até a vaga na Libertadores foi especial. Me recordo muito dos jogos contra São Paulo e Corinthians, no Maracanã – conta.

Apesar da juventude, o defensor tem história para contar. No segundo semestre deste ano, o Flamengo decidiu emprestá-lo ao Paraná para que adquirisse experiência. A missão era espinhosa. O clube paranista estava na zona de rebaixamento da Série B.

Ficha técnica
Nome: Fabrício Silva Dornellas
Altura: 1,88m
Peso: 87kg
Nascimento: 20/2/1990 (em Niterói, RJ)
Posição: zagueiro
Ídolo: Juan (zagueiro do Roma)

Fabrício surpreendeu e rapidamente roubou a vaga de titular. As brincadeiras após os treinos também renderam mais uma “obrigação”: ser o cobrador de faltas e pênaltis da equipe. Foram dois gols na reta final e que ajudaram o Paraná a escapar sem sustos do descenso.

- Aprendi muito. Passei por situações novas, com reuniões da diretoria com os jogadores, pressão da torcida... Mas sempre tive como ponto forte a personalidade. Apostei naquela oportunidade de salvar o Paraná como se fosse a última – declara o jogador.

De volta ao Rio de Janeiro, aguarda o momento de se reapresentar ao Flamengo, dia 7 de janeiro. O contrato foi renovado recentemente até 2013. Mas por pouco, ele não deu os primeiros passos em um rival. Na infância, jogou futsal o Fluminense.

- Mas sempre fui flamenguista doente – apressa-se a esclarecer.

A transferência para a Gávea aconteceu em 1998. Em dez anos de clube, aprendeu a admirar companheiros de sua profissão. E dois merecem um elogio especial do zagueiro canhoto.

- Juan (zagueiro do Roma) é meu ídolo, um espelho. Jogador sério, com caráter. Sempre observei muito o Gamarra pelo seu modo de jogar sem cometer faltas – diz Fabrício.

Antes de parar adversários, porém, ele terá de driblar a própria euforia interna. O presidente Marcio Braga, por exemplo, não se contém ao falar do pupilo:

- Este garoto, Fabrício, é uma jóia rara. O novo Juan.

Fonte: http://globoesporte.globo.com/Esportes/Noticias/Times/Flamengo/0,,MUL931509-9865,00.html

sábado, 20 de dezembro de 2008

Aniversário de uma conquista - Copa Mercosul de 1999 (59)


Fonte da foto: http://www.flaestatistica.com/times1999.htm

Flamengo 3x3 Palmeiras - Final da Copa Mercosul de 1999
De Flapédia

História

Depois de partidas memoráveis, como um 7x0 diante do Universidad do Chile e um 4x0 pra cima do Independiente, da Argentina, o Rubro-Negro chegou à final da Copa Mercosul de 1999. Na decisão enfrentaria contra outra equipe brasileira. O adversário (e favorito ao título) era o Palmeiras, atual campeão da competição.

Foi em 16 de dezembro de 1999 que foi disputada a primeira partida da final. Diante de um Maracanã não muito cheio, o time da Gávea proporcionou uma partida emocionante aos seus torcedores. Em um jogo cheio de viradas no placar e com muitos gols, a equipe rubro-negra venceu por 4x3, e deu o primeiro passo rumo a mais um título internacional na sua história, mesmo sem o grande jogador daquela campanha, o atacante Romário, que desfalcou o Fla nas partidas decisivas.

E, no dia 20, as equipes fizeram o jogo de volta da finalíssima. Em um Palestra Itália com mais de 30 mil pessoas, o time da Casa abriu o placar, mas não conseguiu segurar o resultado da partida, que acabou terminando em 3x3, resultado que deu o título ao Flamengo, campeão fora de casa, derrotando o favorito Palmeiras, que sonhava com o bicampeonato.

O Jogo

Após a emocionante vitória de virada pelo placar de 4x3 no Maracanã, o Flamengo foi embalado para São Paulo enfrentar o Palmeiras, mesmo sabendo que uma derrota por 1x0 tiraria o título da Gávea. Carlinhos armou uma equipe sem medo, e que, mesmo sem Romário, assim como no primeiro jogo da final, soube se portar muito bem. E, como manda o figurino, ganhou mais um título na raça e na emoçõa.

Empurrado por 32 mil torcedores e pela promessa de um prêmio de US$ 1 milhão de bicho, o Palmeiras começou pressionando a equipe flamenguista, mas de forma desordenada. Paulo Nunes, Asprilla, Euller e Alex tentavam resolver tudo sozinhos, abusando dos lances individuais. A torcida começou a apoiar e, a partir de então, o time começou a atuar de forma mais coletiva. Aos 20 minutos, o zagueiro do Fla Célio Silva tentou dar um bico pra frente e pegou mal na bola. Paulo Nunes recuperou e tocou para Zinho, que deixou o lateral Júnior livre dentro da área. Ele foi derrubado por Leandro Machado. Pênalti, que Arce converteu colocando o Verdão com vantagem no placar.

Logo em seguida, o Fla ameaçou em contra-ataque rápido pelo lado direito. Em tabela de Caio com Rodrigo Mendes, saiu um bom cruzamento para Reinaldo, mas a zaga palmeirense fez o corte. O jogo ficou equilibrado até o fim da primeira etapa, quando o Palmeiras vencia por 1x0e tinha o título nas mãos.

Na volta do intervalo, o Flamengo melhora. O segundo tempo começou, e um erro do árbitro ajudou ao time da Sede da Gávea. Euller foi derrubado na área, mas o árbitro não marcou. Melhor para o Rubro-Negro, que, no contra-ataque, marcou o gol de empate, com Caio, na sobra de um lance confuso na área alviverde, na saída do goleiro Marcos do gol.

Para não fugir à regra, o jogo continua eletrizante. Aos 11 minutos, Rodrigo Mendes acerta um chutaço de fora de área, após pegar sobra da zaga palmeirense, e vira o jogo: 2 a 1 Mengo. A torcida rubro-negra ainda comemorava quando Arce, de falta, empatou novamente a partida, em falha do goleiro Clemer. Aos 22, o meia palmeirense Zinho fez boa jogada pela ponta e cruzou na cabeça de Paulo Nunes, que virou novamente o jogo. Mas de nada adiantou para os alviverdes.

Assim como no Maracanã, o Flamengo viria a garantir o resultado favorável no finalzinho da partida. Logo após o gol de Paulo Nunes, o atacante Leandro Machado quase empatou para o Fla, de cabeça. Era um aviso de que o gol do empate e do título estava por vir. Depois, foi a vez de Iranildo, após boa jogada individual, quase marcar. Estava pintando o gol rubro-negr. E ele veio. Desta vez, foi aos 38 minutos da segunda etapa. Em outro contra-ataque bem armado, Lê fez grande jogada individual, tabelou com Reinaldo, saiu de frente para o gol do goleiro Marcos, e com um toque de categoria, balançou as redes e saiu para a comemoração, em prantos. Era o gol do título flamenguista.

A vitória heróica do Rubro-Negro fez a alegria dos torcedores que compareceram ao Palestra Itália e também da Nação ao redor do Brasil. No Rio de Janeiro, a festa foi muito grande. Era o Flamengo voltando a conquistar um importante torneio internacional.

Ficha Técnica

Time base do Flamengo no ano de 1999
PALMEIRAS 3x3 FLAMENGO
2º Jogo da Final da Copa Mercosul 1999

Local: Parque Antárctica, São Paulo (SP)
Data: 20/12/99

Gols: Arce (PAL) 20'/1ºT, Caio (FLA) 5'/2ºT, Rodrigo Mendes (FLA)11'/2ºT, Arce (PAL) 20'/2ºT, Paulo Nunes (PAL) 22'/2ºT e Lê (FLA) 38'/2ºT

FLAMENGO: Clêmer, Maurinho, Célio Silva, Juan e Athirson; Leandro Ávila, Marcelo Rosa (Lê), Leonardo Inácio (Rodrigo Mendes) e Caio (Iranildo); Leandro Machado e Reinaldo. Técnico: Carlinhos.

Fonte: http://www.flamengo.com.br/flapedia/Flamengo_3x3_Palmeiras_-_Final_da_Copa_Mercosul_de_1999

Empresário garante: 'Juan e Léo Moura ficam'

Eduardo Uram garante permanência dos laterais em 2009


Rio - A melhor notícia do Flamengo, ontem, veio de fora do clube. Empresário de Juan e Leonardo Moura, Eduardo Uram disse com convicção que os dois jogadores ficarão no clube em 2009. O lateral-esquerdo tinha sua saída dada como certa e era uma das grandes preocupações da diretoria.

“Não existe mais possibilidade de os dois saírem. Eles têm contrato e vão continuar no Flamengo na próxima temporada”, assegurou Uram.

Vice de futebol do Flamengo, Kléber Leite disse que nada poderia fazer se a multa rescisória de Juan, que é de R$ 19 milhões, fosse paga. O Villarreal, da Espanha, deveria ser o destino de Juan. “Eu e o jogador desconhecemos. É especulação”, disse Uram.

Sobre possível transferência de Léo Moura para o Palmeiras, Uram foi incisivo: “Não existe mínima chance”.

O Flamengo traça o planejamento, e diretoria e Cuca estudam reforços com precisão cirúrgica e recusam até mesmo juras de amor. Ontem, depois de Renato Abreu declarar seu amor ao Rubro-Negro e revelar que gostaria de voltar, Kléber Leite deu de ombros e afirmou que a negociação com o Al-Shabbab, dos Emirados Árabes, é inviável. “Ele ganha uma fortuna lá. É impossível tê-lo conosco”, afirmou o dirigente.

Ontem, o Rubro-Negro anunciou oficialmente o zagueiro Douglas, que estava no Santo André. O próximo a ser apresentado será o volante Willians, também do time paulista.

“Tenho boa qualidade, bom tempo de bola e sou um zagueiro rápido, diferentemente de muitos que jogam no Brasil. Mais do que falar, melhor é fazer”, disse o confiante Douglas, 23 anos, 1,85m, 74 quilos.

Cuca comentou os reforços. “São dois destaques da Série B. Chegamos a um consenso. São jovens, promissores, e têm tudo para dar certo aqui no Flamengo”, afirmou o técnico, reiterando a nova política do clube da Gávea.

Jônatas, tido como carta fora do baralho, pode ficar. O contrato do jogador vai até julho, e ele seria devolvido ao Espanyol, mas o retorno será adiado, pois todas as vagas para jogadores estrangeiros estão preenchidas. Para ficar com ele, o Flamengo terá de pagar R$ 1 milhão.

Além de Jônatas, Vandinho, Maxi e Fierro, que inicialmente seriam dispensados, podem continuar no clube.

DIGUINHO NOS PLANOS

O meia Diguinho pode parar na Gávea. O Rubro-Negro tem a preferência do jogador, que foi liberado pelo Botafogo para negociar seu futuro. O Flu também tem interesse.

Fonte: http://odia.terra.com.br/especial/ataque/flamengo/htm/empresario_garante_juan_e_leo_moura_ficam__219668.asp

sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

Aniversário de uma conquista - Estadual de 1991 (58)



Fonte da foto: http://www.flaestatistica.com/times1991.htm

Como pôde ser percebido nas matérias anteriores, essa data é muito especial para o Clube de Regatas do Flamengo. A conquista que será comentada agora, aliás pra mim é a mais marcante. Os motivos são óbvios. Eu vibrei e acompanhei o título estadual de 1991. As outras, infelizmente eu não tinha ainda vindo ao mundo. O time era formado na sua base por jogadores formados no clube. O grande comandante do time, era o ex-lateral Júnior, mais experiente, mas igualmente talentoso atuando como volante e se destacando também com seus gols. Na final não foi diferente, ele marcou o seu deu assistências maravilhosas, enfim, só não fez chover. Aquela formação do Flamengo, me dá muita saudade, não apenas pela qualidade dos jogadores, mas principalmente pela maneira de atuar. Era bonito vê-la jogando. Não bastasse isso, o time era treinado pelo vitorioso e competente Carlinhos, o técnico que é uma lenda no clube, tanto como jogador, como treinador.

Os heróis daquela inesquecível conquista foram:
C.R. Flamengo 4 x 2 Fluminense (RJ)
Campeonato Estadual - 2º Jogo da Decisão
19/12 - Estadio: Maracanã - Rio de Janeiro
Time: Gilmar, Charles Guerreiro, Gotardo, Júnior Baiano, Piá, Uidemar, Júnior, Nélio(Marcelinho), Zinho, Paulo Nunes e Gaúcho.
Gols: Uidemar, Gaúcho, Zinho e Júnior.
( C.R. Flamengo CAMPEÃO )

Fonte: http://www.flaestatistica.com/t1991.htm

Um ano após a aposentadoria de Zico, a aposta nos jogadores oriundos das divisões de base deu certo. Comandados pelo técnico Carlinhos, os jovens Júnior Baiano, Piá, Paulo Nunes e Marcelinho se juntaram aos experientes Gilmar, Júnior, Gottardo e Uidemar e levaram o Mengão ao título com uma vitória de 4 a 2 sobre o Fluminense. No anos seguinte, com a mesma base, o Rubro-Negro seria campeão brasileiro pela quinta vez.
Time-base: Gilmar; Charles, Júnior Baiano, Gottardo e Piá; Uidemar, Júnior; Zinho e Nélio; Paulo Nunes e Gaúcho. Técnico: Carlinhos.
Campanha: 25 jogos, 17 vitórias, 7 empates e 1 derrota. 44 gols pró, 20 contra e 24 de saldo.
Artilheiro: Gaúcho (17 gols).

Fonte: http://www.lancenet.com.br/hotsite/flamengo2008/30titulos.stm

Maiores informações acerca dessa importante conquista também podem ser vistas ainda nos sites:

http://www.flamengo.com.br/flapedia/Campeonato_Carioca_1991
http://www.campeonatocarioca.kit.net/primeira_divisao/temporadas_anteriores/1991.htm

Aniversário de uma conquista - Estadual de 1965 (57)



Fonte da foto: http://www.flaestatistica.com/times1965.htm
O Flamengo, há exatos 43 anos, alegrava seus milhares de torcedores, ao conquistar o Estadual de 1965. Esse time campeão contava com jogadores identificados com o clube e com os torcedores, como no caso dos dois laterais Murilo e Paulo Henrique e o meia Carlinhos, o Violino, que posteriormente seria igualmente vitorioso como técnico do mais querido do Brasil e do mundo.

A 60ª edição do Campeonato Carioca foi vencida pelo Flamengo.

Equipes participantes
América
Bangu
Botafogo
Flamengo
Fluminense
Bonsucesso
Portuguesa
Vasco da Gama

Fórmula de disputa

O campeonato foi feito por pontos corridos, 8 times em uma chave única com jogos de turno e returno. O Primeiro colocado seria o campeão.

O time campeão foi o seguinte:

C.R. Flamengo 0 x 1 Botafogo (RJ)
2º Turno
19/12 - Estádio: Maracanã - Rio de Janeiro
Time: Valdomiro, Murilo, Ditão, Jaime Valente, Paulo Henrique, Carlinhos, Nelsinho, Neves, Almir, Silva e Rodrigues.
( C.R. Flamengo Campeão Carioca )
Público: 76.205

Fonte: http://www.flamengo.com.br/flapedia/Campeonato_Carioca_1965

Em um Carioca mais enxuto devido a uma medida da Federação Carioca de Futebol, o Flamengo disputou o título palmo a palmo com o Bangu. O Rubro-Negro tinha no ataque formado por Almir e Silva e no meio-de-campo comandado por Nelsinho e Carlinhos suas grandes virtudes. A conquista saiu após uma derrota do time banguense para o Fluminense na última rodada e o Flamengo apenas cumpriu tabela contra o Botafogo já com a faixa no peito. O Fla levava o título no Quarto Centenário do Rio.
Time-base: Valdomiro; Murilo, Ditão; Jaime Valente e Paulo Henrique; Carlinhos e Nelsinho; Paulo Alves, Almir, Silva e Rodrigues. Técnico: Armando Renganeschi.
Campanha: 14 jogos, 10 vitórias, 2 empates e 2 derrotas. 18 gols pró, 8 contra, 10 de saldo.
Artilheiro: Silva (7 gols).

Fonte: http://www.lancenet.com.br/hotsite/flamengo2008/30titulos.stm

Aniversário de uma conquista - Taça Dr. Affonso de Camargo (56)

Um dia depois de levantar um troféu, o Flamengo conquistaria outro triunfo na capital paranaense. O time campeão foi coincidentemente o que ganhou o Troféu da Associação Paranaense de Desportos.

C.R. Flamengo 4 x 1 Atlético (PR)
Taça Dr. Affonso de Camargo
19/12 - Estádio: ? - Curitiba - PR
Time: Amado, Hermínio, Helcio, Benevenuto, Lincoln, Moura, Nilton, Candiota, Nonô, Fragoso e Angenor.
Gols: Fragoso(4).
(C.R. Flamengo Campeão)

Fonte: http://www.flaestatistica.com/t1927.htm

Aniversário de uma conquista - Estadual de 1920 (55)


Fonte da foto: http://www.flaestatistica.com/times1920.htm
Em menos de oito anos, o time de futebol do Flamengo já se destacava com desenvoltura. O segundo bicampeonato estadual ratificou essa afirmação (o primeiro em 1914 e 1915). O título conquistado há 88 anos foi conquistado de maneira invicta.

Os heróis dessa conquista foram os seguintes:

Data: 19/12/1920
Competição: Campeonato Carioca - 2º Turno
Estádio: Laranjeiras
Jogo: Flamengo 2 x 2 Fluminense
Time: Kuntz, Santiago, Telefone, Rodrigo, Sisson, Dino, Valdemar, Sidney Pullen, Candiota, João de Deus e Junqueira
Gols do Flamengo: João de Deus e Valdemar
Obs.: Flamengo Campeão Carioca Invicto

Fonte: http://www.flamengo.com.br/flapedia/Campeonato_Carioca_1920

Classificação final:
CLUBE P J V E D GP GC SG
1º Flamengo 31 18 13 5 0 44 19 +25
2º Fluminense 26 18 11 4 3 46 27 +19
3º América 25 18 10 5 3 39 24 +15
4º Botafogo 21 18 10 1 7 56 34 +22
5º Andarahy 20 18 9 2 7 36 26 +10
6º Bangu 17 18 8 1 9 51 42 +9
7º São Cristóvão 15 18 8 1 9 49 37 +12
8º Villa Isabel 11 18 4 1 13 31 53 -22
9º Palmeiras 8 18 3 2 13 24 64 -40
10º Mangueira 6 18 3 0 15 24 74 -50

Legenda: P - pontos ganhos, J - jogos, V - vitórias, E - empates, D - derrotas,
GP - gols pró, GC - gols contra, SG - saldo de gols

Fonte: http://www.campeonatocarioca.kit.net/primeira_divisao/temporadas_anteriores/1920.htm

Já com a camisa rubro-negra sem as listras em branco, o Flamengo conseguiu mais um título invicto ao vencer os dois turnos. Foi uma conquista especial, já que o Mengão acabava com uma seqüência de três títulos do Fluminense. O nome do time era o inglês Sidney Pullen, que lutara nos campos de batalha durante a I Guerra Mundial e demonstrava a mesma garra dos tempos de soldado em campo, atuando em várias posições.
Time-base: Kuntz; Burgos e Telefone; Rodrigo, Sisson e Dino; Carregal, Candiota, Sidney Pullen, Junqueira e João de Deus. Técnico: Sidney Pullen.
Campanha: 18 jogos, 13 vitórias e 5 empates. 44 gols pró, 19 contra e 25 de saldo.
Artilheiro: Junqueira (15 gols).

Fonte: http://www.lancenet.com.br/hotsite/flamengo2008/30titulos.stm

quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

Aniversário de uma conquista - Troféu Associação Paranaense de Desportos (54)

Há passados 81 anos, o Flamengo conquistava o Troféu Associação Paranaense de Desportos. O time formado foi a base da equipe campeã estadual de 1927. Um fato interessante é que o mais querido do mundo era treinado por uma dupla: Joaquim Guimarães e pelo uruguaio Juan Carlos Bertoni.

C.R. Flamengo 2 x 2 Seleção do Paraná
Troféu Associação Paranaense de Desportos
18/12 - Estádio: Graciosa - Curitiba - PR
Time: Amado, Hermínio, Hélcio, Benevenuto, Lincoln, Moura, Nilton, Candiota, Nonô, Fragoso e Angenor.
Gols: Lincoln e Fragoso.
(C.R.Flamengo Campeão)

Fonte: http://www.flaestatistica.com/t1927.htm
http://www.flaestatistica.com/tecnicos.htm

terça-feira, 16 de dezembro de 2008

Ex-jogadores do Fla se reúnem para comemorar título carioca de 78

Rondinelli e Adílio lembram que jogadores fizeram pacto de vitória após derrota para o Vasco no ano anterior

GLOBOESPORTE.COM
Rio de Janeiro
Tamanho da letra
A- A+

Ex-jogadores do Flamengo reuniram-se na noite desta segunda-feira em um restaurante na Barra da Tijuca (Zona Oeste do Rio) para comemorar os 30 anos do título carioca de 78, título que iniciou uma série de conquistas da geração de ouro do clube, liderada por Zico. Do time campeão em 3 de dezembro de 78, estiveram presentes Rondinelli, Adílio e Júlio César.

Autor do gol da vitória por 1 a 0 sobre o Vasco, Rondinelli destaca a união do grupo na época. E revela que a conquista começou a ser construída um ano antes, após a derrota na final do Estadual de 77 para o time de São Januário.

- Após a partida, os jogadores foram para um bar em Ipanema (Zona Sul). Decidimos nos unir e fazer o necessário para ganhar o título no ano seguinte. Treinar de dia, de tarde e de noite se fosse preciso. E conseguimos.

Adílio também cita o pacto feito pelos atletas rubro-negros e considera que o título de 78 foi especial na sua longa carreira.

- Foi o primeiro ano em que fui titular do Flamengo. Junto com jogadores que subiram da base comigo, como Tita e Júlio César, e outros mais experientes, como Zico, Júnior, Cantarelli, conseguimos aquele título inesquecível.

Também participaram do encontro os ex-jogadores Élder, Zé Carlos, Gilmar Popoca, Renato, Lira e Piá.

Fonte: http://globoesporte.globo.com/Esportes/Noticias/Times/Flamengo/0,,MUL924053-9865,00-EXJOGADORES+DO+FLA+SE+REUNEM+PARA+COMEMORAR+TITULO+CARIOCA+DE.html

segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

Cuca é apresentado como novo técnico do Fla

O técnico Cuca foi apresentado hoje à tarde, na inauguração da loja Flashop, no Centro do Rio, como o novo comandante do Flamengo para a temporada 2009. Mostrando bastante otimismo, o novo treinador afirmou que o rubro-negro vai brigar por todos os títulos no ano que vem.

-“Estou muito feliz em poder voltar ao Flamengo. Será um grande desafio e acredito que estou preparado. Tenho muita fé que faremos um grande ano. Eu vim para o Clube para ganhar todas as competições que vamos disputar. Vamos começar com o Carioca, depois a Copa do Brasil, Brasileiro e Sul-Americana. Queremos todos os títulos. Não posso pensar diferente, porque aqui é o Flamengo. Queremos ganhar tudo”.

Cuca elogiou o elenco do Fla e disse que o Clube vai fazer poucas contratações para a próxima temporada.

-“O grupo é muito bom, um dos melhores do Brasil. Só precisamos dar uma enxugada na quantidade de jogadores para que possamos trabalhar com 28 deles Estou fazendo uma análise detalhada do elenco para não ser injusto com nenhum jogador. Temos um grupo forte tecnicamente e bastante experiente. Vamos fazer poucas contratações, por isso temos que escolher muito bem. Já pedi à diretoria alguns nomes como reforços”.

Fonte: http://www.flamengo.com.br/portal//AgenciaFla/Cuca-e-apresentado-como-novo-tecnico-do-Fla

Aniversário de uma conquista - Estadual de 1963 (53)



Fonte da foto: http://www.flaestatistica.com/times1963.htm
Flamengo 0x0 Fluminense - Final do Campeonato Carioca de 1963
De Flapédia

História

Segundo Nélson Rodrigues, um dos maiores cronistas esportivos da história, "os vivos saíram de suas casas e os mortos de suas tumbas, para assistir ao maior Fla x Flu de todos os tempos". As palavras, escritas em sua coluna no Jornal O Globo, descreveram bem o sentimento das quase 200 mil pessoas presentes ao Maracanã naquela decisão de Campeonato Carioca.

Em 15 de dezembro de 1963, no encontro do returno entre Fluminense e Flamengo, o estádio acolheu o maior público já verificado em jogos entre dois clubes no mundo, quando as bilheterias registraram 177.656 pagantes. Acrescentando-se a esse número os 16.947 espectadores que não pagaram ingresso, o total foi de 194.603 pessoas, recorde absoluto de público no Maracanã, e também da história do futebol mundial.

Antes de conquistar o titulo, o Flamengo viveu momentos difíceis, inclusive tendo que afastar craques consagrados como Gerson, Jordan e Dida. Em determinado período do primeiro turno, o clube parecia fora da luta pelo titulo de campeão, mas reagiu no segundo turno, e a partir do jogo contra o América, teve uma seqüência de vitórias até a final contra o rival Fluminense, quando sacramentou a conquista.

O Jogo
O maior público da história do Maracanã. Isso quer dizer alguma coisa, certo? A decisão não chegou a ser um primor de técnica. Foi um jogo cheio de nervosismo pela característica decisiva de que, com qualquer resultado, sairia um campeão. Contudo, neste jogo em que mais de 20% da população do Estado da Guanabara esteve presente, ninguém saiu decepcionado. Pelo menos, os rubro-negros não.

O time da Gávea entrou em campo necessitando apenas de um empate, enquanto os tricolores queriam a vitória. Os dois times disputaram os lances com muito cuidado em todo seu primeiro tempo, com o Flamengo mais preocupado em se defender e o Fluminense querendo o gol, mas sem coragem de se lançar todo a frente, com o natural receio de ser colhido por um contra ataque do adversário.

No segundo tempo, o Fluminense decidiu procurar a vitória a qualquer custo. A equipe entrou em campo com uma tática ofensiva mais declarada, passando a predominar no ataque, enquanto o Flamengo, instintivamente, procurou se manter na defesa.

Os últimos dez minutos foram verdadeiramente dramáticos com os tricolores forçando a defesa do rubro negro que se defendia de qualquer maneira, mas com muita valentia. O jogo estava tão indefinido que a torcida do Flamengo somente começou a comemorar depois do apito final do juiz. Porém, depois que começou, não parou mais. A festa tomou conta da cidade do Rio de Janeiro.

Foi o fim de um jejum de oito anos sem conquistas estaduais. Porém, Marcial, Murilo, Luís Carlos, Ananias, Paulo Henrique, Carlinhos, Nelsinho, Espanhol, Airton, Geraldo e Oswaldo trataram de pôr seus nomes na história, e sagrarem-se campeões cariocas de 1963.

Ficha Técnica
Flamengo 0 x 0 Fluminense
Campeonato Carioca de 1963

Data: 15 de dezembro de 1963
Local: Maracanã - Rio de Janeiro
Público Pagante: 177.020 pessoas
Público Presente: 194.603 pessoas
Renda: CR$ 57.993,50

Flamengo: Marcial, Murilo, Luís Carlos, Ananias, Paulo Henrique, Carlinhos, Nelsinho, Espanhol, Airton, Geraldo e Oswaldo
Fluminense: Castilho, Carlos Alberto Torres, Procópio, Dari e Altair. Oldair e Joaquinzinho, Edinho, Manoel, Evaldo e Escurinho


Retirado de "http://www.flamengo.com.br/flapedia/Flamengo_0x0_Fluminense_-_Final_do_Campeonato_Carioca_de_1963"

Depois de oito anos sem títulos cariocas, o Flamengo voltou a ser coroado após uma das partidas mais dramáticas da história do Maracanã, contra o Fluminense. Diante de um público de 177.020 pagantes, o maior da história do clássico Fla-Flu, o Rubro-Negro sustentou um empate sem gols com uma atuação histórica do goleiro Marcial. Foi um prêmio não só para o arqueiro, mas também para Joubert, Jordan e Dida, únicos remanescentes do tricampeonato dos anos 50.
Time-base: Marcial; Murilo, Ananias; Luis Carlos e Paulo Henrique; Carlinhos e Nelsinho; Espanhol, Airton, Dida e Oswaldo Ponte Aérea. Técnico: Flávio Costa.
Campanha: 24 jogos, 17 vitórias, 5 empates e 2 derrotas. 46 gols pró, 17 contra e 29 de saldo.
Artilheiro: Airton (15 gols).

Fonte: http://www.lancenet.com.br/hotsite/flamengo2008/30titulos.stm

sábado, 13 de dezembro de 2008

Título mundial do Flamengo completa 27 anos

Nunes e Adílio marcaram os gols na vitória sobre o Liverpool e comemoraram o maior título da história do Flamengo

LANCEPRESS!

Neste sábado, 13 de dezembro, é um dia especial para todos os rubro-negros. Exatamente 27 anos atrás, o Flamengo conquistou o Mundial Interclubes com a brilhante vitória sobre o Liverpool (ING), por 3 a 0.

Os gols daquela épica final em Tóquio, no Japão, foram marcados por Nunes (dois) e Adílio. Esta conquista foi a cereja no bolo daquela geração do Flamengo, que também faturou quatro Cariocas (78/79/79/81), três Brasileiros (80/82/83) e uma Libertadores (81).

Integrantes dessa geração têm um encontro marcado para a próxima segunda-feira. O motivo da reunião são os 30 anos do gol de Rondinelli, na final do Carioca de 78.

Confira a ficha técnica do jogo:

FLAMENGO 3x0 LIVERPOOL

Data: 13 de Dezembro de 1981
Local: Estádio Nacional, Tóquio (JAP)
Árbitro: Rúbio Vazques (México)

GOLS: Nunes, 13'/1ºT (1-0); Adílio, 34'/1ºT (2-0); Nunes, 41'/1ºT (3-0).

FLAMENGO: Raul, Leandro, Marinho, Mozer e Júnior; Adílio, Andrade e Zico; Tita, Lico e Nunes. Técnico: Paulo César Carpeggiani.

LIVERPOOL: Grobbelaar; Neal, R. Kennedy, Lawnson e Thompson; Hansen, Dalglish e Lee; Johnstone, Souness e McDermott (Johnson). Técnico: Paisley.

Fonte: http://www.lancenet.com.br/clubes/FLAMENGO/noticias/08-12-13/450202.stm?titulo-mundial-do-flamengo-completa-27-anos

Aniversário de uma conquista - Brasileiro de 1987 (52)


Time tetracampão brasileiro. Em pé: Leandro, Zé Carlos, Andrade, Edinho, Leonardo e Jorginho. Agachados: Bebeto, Aílton, Renato, Zico e Zinho. Foto: Placar13/12/1987- Maracanã

Flamengo 1x0 Internacional - Final do Campeonato Brasileiro de 1987
De Flapédia

História

Pela segunda vez, o Flamengo ficava frente a frente com um time gaúcho na final do Campeonato Brasileiro. Depois de um início irregular, o Flamengo embalou no mata-mata, despachou o favorito Atlético-MG e foi pra decisão.

Apenas 16 times disputaram a Copa União, símbolo da ruptura entre a CBF e o recém-fundado Clube dos 13. O título ficou com o Flamengo, que recusou um cruzamento com os times do Módulo Amarelo. Para os 13, o melhor havia sido escolhido ali.

No entanto, ainda há muita polêmica sobre o grande campeão de 1987. Como o Rubro-Negro, campeão de fato e de direito, apoiado pelo Clube dos 13, se recusou a enfrentar times de uma "segunda divisão" baseado em regulamento que foi alterado durante a competição, a CBF reconhece o Sport Recife, campeão do Módulo Amarelo, como o dono do título. Mas, quem pôde assistir ao campeonato e ao desenrolar da história, sabe que este troféu é do Flamengo e de mais ninguém.

O Jogo
Mal o juiz apitou o fim da partida, Zico saltou do túnel, de onde torcera os últimos minutos depois de ter sido substituído, e abriu um sorriso. Sai então a abraçar todos, como fosse um adolescente que havia conquistado seu primeiro título.

Zico, o melhor jogador da história do Flamengo, não foi o mais brilhante da vitória de 1x0 sobre o Inter. A exemplo das outras três decisivas partidas da competição, ele não era o pulmão, e sim cérebro e olhos da equipe. A torcida saiu, sim, indiferente à chuva que desde cedo tentou enfeiar a festa - como se isso fosse possível num dia em que o Flamengo decide o título.

Reza a superstição que, quando o urubu lançado pela torcida cai em mãos do inimigo, o título vai pro espaço. Foi assim em 1983, no Fla-Flu decisivo do Carioca. O bicho aterrisou nas mãos do lateral Ado e deu Fluminense. No ano seguinte, outro Fla-Flu que valia o caneco, e o bicho acabou sendo abatido pela torcida tricolor: Flu bicampeão. Domingo, porém, quando o urubu pousou perto de Taffarel, no início do jogo, quem o recolheu? Renato Gaúcho.

Não foi por aí, porém, que o dono da festa impôs seu futebol. "Jogamos num estilo alegre, bem brasileiro", saboreava Carlinhos. Sempre com a bola no chão, movimentação e passes consistentes, sem pressa, mas rápido, o Flamengo tratou de ir prensando o Inter contra a sua área. Até sair o gol urubu. "Ainda não entendi", reclamava Taffarel, no final. "Fui certo de que abafaria aquela bola. De repente, surgiu o pé do Bebeto."

"Pensei que passaríamos trabalho no segundo tempo", rememorava Zico. "Só que a reação do Inter não nos assustou." Por quê? Porque o time gaúcho não tinha força suficiente - e essa é quase que sua única arma - e também porque o Flamengo não desmentiu Ênio Andrade. O técnico colorado, consciente de que treina um time limitado, elogiava o de Carlinhos pela seriedade com que passou a marcar a partir do segundo turno.

Bebeto, esse era a imagem da emoção - e agora as lágrimas que lhe valheram o apelido de "chorão" tinham razão de ser. "Dedico o gol e o título à Denise, minha mulher", soluçava ele, segurando a calculadora que ganhara de uma rádio como prêmio.

O mesmo fez o garoto Leonardo, que, também em prantos, balbuciava: "Quando eu deixei os juniores e estreei, na abertura da Copa União, a torcida mal sabia o meu nome." O contraste absoluto estava nas palavras do grande Leandro, que até poderiam soar um tanto cruéis. Segundo ele, certos jogadores do Inter sentiram demasiado o berro do Maracanã. "Não vou citar nomes, mas alguns tremeram. Pareciam petrificados", dizia. Não era crueldade. No silencioso vestiário colorado, dois jogadores, Norberto e Luís Carlos, confirmavam essa constatação. "Faltou personalidade a alguns, e nem vou alegar a pouca idade, pois o cara deve ser macho desde guri", desabafava o capitão Luís Carlos.

Não, Zico não foi o mais brilhante. Mas foi o cérebro e olhos. Um capitão. Um indispensável condutor de craques. Aos 34 anos, o herói de sempre.

Ficha Técnica

Flamengo 1x0 Internacional
Juiz: José de Assis Aragão (SP);
Renda: Cz$ 20.452.800; Público: 91.034;
Gol: Bebeto, 16 do 1o tempo; CA: Aluísio e Edinho
Flamengo: Zé Carlos, Jorginho, Leandro, Edinho e Leonardo; Andrade, Aílton e Zico (Flávio); Renato Gaúcho, Bebeto e Zinho. Técnico: Carlinhos
Internacional: Taffarel, Luís Carlos Winck, Aluísio, Nenê e Paulo Roberto (Beto); Norberto, Luís Fernando e Balalo; Hêider (Manu), Amarildo e Brites: Técnico: Ênio Andrade.

Fonte: http://www.flamengo.com.br/flapedia/Flamengo_1x0_Internacional_-_Final_do_Campeonato_Brasileiro_de_1987

Aniversário de uma conquista - Mundial Interclubes (51)


Fonte da foto: www.flaestatistica.com

Flamengo 3x0 Liverpool - Final do Mundial Interclubes de 1981
De Flapédia

História

Zico com a taça de melhor do Mundo, ao lado de AdílioA maior partida da história do Flamengo. O jogo da vida de todos os rubro-negros. Este foi o Flamengo x Liverpool, de 13 de dezembro de 1981. Campeão da Taça Libertadores da América, batendo o Cobreloa na final, a equipe brasileira entrava em campo para eliminar o estigma de que não era apenas "time de Maracanã", visto que seus principais títulos até aquela época foram conquistados no "Maior do Mundo" (lembrando que apenas 20 dias antes o clube havia derrotado o Cobreloa em Montevidéu, conquistando o título continental de 1981).

As épocas douradas dos dois times iniciaram juntas, em 1978, ano que a equipe inglesa venceu a Liga dos Campeões da UEFA, dando início a uma seqüência de conquistas de dois campeonatos ingleses (1979/1980) e o título europeu de 1981. Enquanto isso, o clube brasileiro vencia o tricampeonato carioca (1978/1979/1979 especial), o Campeonato Brasileiro de 1980, o campeonato carioca de 1981, além do título continental deste mesmo ano.

Zico ao lado de Leandro e Júnior, com a Taça do MundialO Liverpool era o grande favorito por ser o maior time da época. O time inglês superara Bayern de Munique e Real Madrid nas duas últimas fases - semifinais e final, respectivamente - da Copa dos Campeões da UEFA. Mas, essa fama dos ingleses e seu ar arrogante de superioridade seriam fatais para eles.

Os 62.000 torcedores que compareceram ao Estádio Nacional de Tóquio, dentre eles, muitos rubro-negros, não viram um show dos vermelhos, mas sim, do vermelho e preto, que trajava sua camisa branca na decisão. Viram um show de Zico, inspiradíssimo. Viram um show do futebol brasileiro. Um show que garantiu o título para o Fla ainda no primeiro tempo, com um indiscutível 3x0, para acabar com as dúvidas de quem era o melhor. Não apenas naquela partida, mas o melhor do mundo. E era o Flamengo.

O Jogo

Encarte da partida entre Fla e LiverpoolCercados de muita expectativa, os jogadores do maior time da história do Flamengo adentraram o gramado do Estádio Nacional diante de mais de 60 mil pessoas presentes e aos olhos da Nação Rubro-Negra do outro lado do mundo, no Brasil. E qualquer dúvida sobre o talento e sobre a capacidade destes jogadores, foi por água abaixo logo aos 13 minutos de jogo.

Zico lançou Nunes que viu a saída desesperada do goleiro Grobbelaar e, ainda fora da grande área, o encobriu para abrir o placar, e gravar na memória dos rubro-negros uma cena inesquecível. O "Artilheiro das Decisões" saiu para comemorar antes mesmo de a bola entrar, mostrando a certeza e a confiança no futebol do time. "Acidente de percurso", pensaram os ingleses. Coitados, mal sabiam que o show rubro-negro estava apenas começando.

E o ingleses não poderiam esperar por algo pior. Além do time rubro-negro motivado, Zico estava inspirado. Como (quase) sempre. O Galinho levou à loucura a defesa adversária. Aos 34 minutos, McDermott derrubou Tita na entrada da área e o craque se encarregou da cobrança da falta, mandando a bomba que Grobbelaar apenas rebateu. Na sobra, Lico bateu, o zagueiro Thompson cortou, mas não impediu o gol do oportunista Adílio, que estufou a rede colocando uma vantagem de 2 a 0 no placar.

Nunes toca por cima de Grobelaar para marcar o primeiro...O Liverpool sentiu o golpe. Até então sempre com ar de superior, o time inglês percebeu que o título mundial escapava de suas mãos. E escapou em definitivo aos 41 minutos. O maior jogador do Flamengo em todos os tempos, Zico, protagonizou lance parecido com o do primeiro gol e que também terminou no fundo das redes. O Galinho lançou novamente o centroavante Nunes, que avançou e bateu na saída do goleiro: 3x0 e fim de papo. Com 45 minutos de antecedência, a taça já tinha destino certo: o Rio de Janeiro.

...e sai para comemorar, antes de a bola entrarO segundo tempo foi arrastado, chato mesmo de se ver. O Liverpool não mostrava forças para reagir, limitou-se a ficar na defesa - talvez temendo sofrer uma goleada ainda mais humilhante. Os craques do Flamengo tocavam a bola de pé em pé sem objetividade, envolvendo os combalidos adversários e esperando o tempo passar. Foram 45 minutos de total domínio rubro-negro sobre os ingleses até o apito final, em que o time da Gávea poderia até ter aumentado o placar, em uma grande troca de passes que envolveu Zico, Lico, Leovegildo Lins da Gama Júnior e Adílio, que finalizou de fora da área, mas o goleiro inglês fez a defesa.

Final de jogo e festa no Brasil, o clube mais popular do país conquistava o mundo. Agora, definitivamente, o Flamengo não poderia ser chamado de "time de Maracanã". Afinal, provou ser imbatível em todo o canto, até mesmo do outro lado do planeta. E Zico provou não apenas ser o "rei do Maracanã", como também, o "rei do Mundo" na década de 1980. Eleito, justamente, o melhor jogador da decisão, o Galinho se firmava mais ainda como o maior de todos os tempos na história do rubro-negro.

Foi o dia em que frases como "Eu teria um desgosto profundo se faltasse o Flamengo no mundo" e "Quero cantar ao mundo inteiro a alegria de ser rubro-negro" fizeram mais sentido para os torcedores do Clube. Uma vitória que fica marcada para sempre na história do Clube.

Ficha Técnica

Final do Campeonato Mundial Interclubes 1981

Local: Estádio Nacional, Tóquio (JAP)
Data: 13 de Dezembro de 1981
Árbitro: Rúbio Vazques (México)

Gols: Nunes 13', Adílio 34' e Nunes 41' do 1° tempo

FLAMENGO: Raul, Leandro, Marinho, Mozer e Júnior; Adílio, Andrade e Zico; Tita, Lico e Nunes. Técnico: Paulo César Carpeggiani

LIVERPOOL: Grobbelaar; Neal, R. Kennedy, Lawnson e Thompson; Hansen, Dalglish e Lee; Johnstone, Souness e McDermott (Johnson). Técnico: Paisley.

Fonte: http://www.flamengo.com.br/flapedia/Flamengo_3x0_Liverpool_-_Final_do_Mundial_Interclubes_de_1981

Em alta com todos no clube, Aírton vai renovar seu contrato


Após encantar a comissão técnica durante toda a temporada, volante, de 18 anos, assinará novo compromisso com o clube nos próximos dias
Cahê Mota
Rio de Janeiro

Como seguro morreu de velho, o Flamengo se adiantou para não perder o surpreendente Aírton. Emprestado pelo Nova Iguaçu, o garoto de 18 anos teve 50% de seus direitos comprados pelo clube no meio da temporada e acertará nos próximos dias um novo compromisso de cinco anos. Detalhes burocráticos impedem a assinatura imediata.

Contratado no início da temporada para integrar a equipe de juniores, Aírton impressionou Joel Santana em um treinamento e foi puxado para o time profissional. Desde então, ganhou seu espaço e terminou o Brasileirão como titular.

O sucesso de Aírton na Gávea foi tanto que o clube repetiu a aposta recentemente e contratou o meia Dieguinho, também de 18 anos, companheiro do volante nas categorias de base do Nova Iguaçu.

Fonte: http://globoesporte.globo.com/Esportes/Noticias/Times/Flamengo/0,,MUL921508-9865,00.html

Aniversário de uma conquista - Torneio Quadrangular de Jundiaí (50)

Há 33 anos o Flamengo conquistou o Torneio Quadrangular de Jundiaí. O time era a base daquele campeão estadual de 1974.

C.R. Flamengo 0 x 0 Paulista (SP)
Pênaltis : C.R. Flamengo 7 x 6 Paulista
Torneio Quadrangular de Jundiaí (SP)
13/12 - Estádio: Jaime Cintra - Jundiaí - SP
Time: Cantareli, Nei(Dequinha), Rondineli, Luís Carlos, Rodrigues Neto, Merica, Tadeu, Zico, Caio(Doval), Luisinho e Luís Paulo.
( C.R. Flamengo CAMPEÃO )

Fonte: http://www.flaestatistica.com/t1975.htm

quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

Flamengo tem a melhor média de público do Brasileirão dos últimos cinco anos

Mesmo sem conseguir a tão sonhada vaga na Libertadores, Rubro-Negro contou com o apoio recorde da torcida ao longo de toda a competição

GLOBOESPORTE.COM
Rio de Janeiro
Tamanho da letra
A- A+

A torcida bem que tentou empurrar o Flamengo e lotou o Maracanã ao longo de todo o Campeonato Brasileiro. Mesmo que a vaga para a Libertadores não tenha vindo, os rubro-negros podem se orgulhar de ter feito a sua parte nas arquibancadas. Em média, 40.694 pessoas compareceram ao estádio para apoiar a equipe carioca ao longo das 38 rodadas da competição. Esta é a melhor marca de um time nos últimos cinco anos.

A média rubro-negra ficou muito acima da média nacional. No geral, a média de público do Brasileirão ficou em 16.966 pessoas por jogo. Foram 6.429.954 pessoas no total que lotaram os estádios brasileiros. Trata-se do segundo melhor número dos últimos cinco anos. A melhor marca foi a de 2007: 17.461.

Nos dez maiores públicos do campeonato, novo predomínio do Flamengo. Cinco partidas foram disputadas com o mando de campo do time carioca. A partida com melhor público foi Flamengo 0x3 Atlético-MG, partida da 29ª rodada, que contou com 77.387 torcedores. Entre os dez piores públicos, praticamente só deu Ipatinga. Oito dessas partidas foram disputadas com mando de campo do time mineiro. Surpreendentemente, o pior de todos, no entanto, foi Santos 4x0 Atlético-PR, pela 28ª rodada, que teve público de 153 torcedores.

Públicos nas últimas edições do Brasileirão
Ano Média de público Total de público Time com maior média
2008 16.966 6.429.954 Flamengo (40.694)
2007 17.461 6.582.976 Flamengo (39.221)
2006 12.401 4.625.512 Grêmio (25.630)
2005 14.034 6.006.421 Corinthians (27.319)
2004 8.073 4.456.402 Corinthians (13.527)

10 maiores públicos 10 piores públicos
Pagantes Partida Data Rodada Pagantes Partida Data Rodada
77.387 Flamengo 0x3 Atlético-MG 11/10 29ª 153 Santos 4x0 Atlético-PR 4 /10 28ª
66.888 São Paulo 1x1 Fluminense 30/11 37ª 530 Ipatinga 3x0 Sport 15/11 35ª
63.611 Flamengo 3x1 Vasco 13/7 11ª 588 Ipatinga 2x0 Coritiba 1 /11 33ª
59.678 Flamengo 5x2 Palmeiras 16/11 35ª 912 Ipatinga 0x1 Figueirense 13/7 11ª
58.518 São Paulo 3x1 Figueirense 16/11 35ª 1.086 Ipatinga 1x1 Santos 20/8 21ª
58.391 Atlético-MG 0x0 Santos 30/11 37ª 1.135 Ipatinga 1x0 Goiás 24/8 22ª
56.074 Flamengo 2x2 Fluminense 31/8 23ª 1.327 Ipatinga 4x1 Portuguesa 19/7 13ª
55.228 Flamengo 2x4 São Paulo 14/6 06ª 1.387 Ipatinga 1x4 Grêmio 30/11 37ª
54.160 São Paulo 3x0 Internacional 2 /11 33ª 1.593 Internacional 1x0 Cruzeiro 30/11 37ª
52.884 Atlético-MG 0x2 Cruzeiro 19/10 30ª 1.596 Ipatinga 2x0 Vitória 01/6 04ª

Fonte: http://globoesporte.globo.com/Esportes/Noticias/Futebol/Brasileirao/Serie_A/0,,MUL912062-9827,00.html

quarta-feira, 10 de dezembro de 2008

Juan e Léo são eleitos os melhores laterais do Brasileiro

Jogadores do Flamengo receberam o Prêmio Craque do Brasileirão 2008.

Os jogadores Juan e Léo Moura foram eleitos os melhores laterais do Campeonato Brasileiro. Os atletas do Fla receberam o Prêmio Craque do Brasileirão 2008 na segunda-feira, na festa de encerramento da competição. Segundo colocado em 2007, Juan faturou o prêmio pela primeira vez na carreira. Já Léo Moura, confirmou a sua supremacia na lateral-direita do futebol brasileiro, conquistando o prêmio pela segunda vez consecutiva.

Fábio Luciano ficou em terceiro na disputa pelo melhor zagueiro pela direita. Ronaldo Angelim foi o segundo colocado na sua posição, ficando atrás apenas de Miranda, do São Paulo. Ibson recebeu o prêmio de terceiro melhor meia pela direita do Campeonato Brasileiro.

Fonte: http://www.flamengo.com.br/portal//AgenciaFla/Juan-e-Leo-sao-eleitos-os-melhores-laterais-do-Brasileiro

terça-feira, 9 de dezembro de 2008

Japonês - Um grande campeão


Ademar Martins
De Flapédia

Biografia
Ademar Martins ou Japonês foi um zagueiro do Flamengo de 1916 a 1927. Japonês foi convocado para a Seleção Brasileira em duas oportunidades.

Dados
Nome Completo: Ademar Martins
Apelido: Japonês
Posição: Zagueiro
Dia do Nascimento: 9 de dezembro de 1900
Nascimento: Rio de Janeiro
1° jogo: 13/01/1916 (Flamengo 1 x 1 São Cristóvão)


Histórico
Anos Time
1916-1927 Flamengo

Títulos
Flamengo
1916
Taça Madame Gaby Coelho Neto
1919
Troféu América Fabril
1920
Campeonato Carioca
Taça Sport Club Mackenzie
1921
Campeonato Carioca
1922
Troféu América Fabril
1923
Troféu Carioca Football Club
Troféu América Fabril
Troféu Petropolitano
1925
Campeonato Carioca
1927
Campeonato Carioca
Estatísticas
Ano Jogos Gols Marcados
1916 1 0
1917 23 0
1918 23 6
1919 22 4
1920 9 1
1921 4 1
1922 8 0
1923 9 0
1924 15 0
1925 21 1
1926 15 0
1927 6 0

Fonte: http://www.flamengo.com.br/flapedia/Japon%C3%AAs

segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

A importância de um treinador - parte 2

Continuando o que tinha comentado na matéria anterior, é fácil perceber a influência direta do treinador em uma competição. No caso específico, da colocação do Flamengo - não é diferente - foi um resultado inequívoco do trabalho de Caio Júnior. Embora, ele tenha dito em entrevista que o Flamengo é um ambiente conturbado e muito exposto, o que não deixa de ser uma verdade, isso não pode ser motivo de desculpa pelos seus equívocos ao longo dos 38 jogos pelo clube. Separei 10 erros, que na minha modesta opinião, considero de grande relevância para o desfecho final do time no Brasileirão de 2008. Ei-los a seguir.

1 - Efetivar Jailton na posição de Zagueiro. Sua posição de volante já é contestada, imagina de zagueiro. Não bastasse ele não sabe marcar na grande área. A verdade é que ele cometeu dois pênaltis no campeonato, um deles, culminou com a reação do Goiás que estava perdendo por 3 a 0. Pouco tempo depois o Goiás, faria o segundo gol, nas suas costas;
2- Não aproveitar o jogador que mais partidas fez pelo Flamengo e de grandes serviços prestados ao clube - Jônatas, o mais habilidoso, como ele mesmo definiu, mais que não se encaixava no seu sistema de jogo. Um contra-senso incrível;
3 - Dizer que a reposição não foi à altura. Os números relatam, o contrário. O Flamengo terminou o primeiro turno em sétimo. Já no segundo turno, foi a segunda melhor campanha;
4 - Improvisar o meia Sambueza, na lateral esquerda, tendo dois reservas para a posição. Um deles, Eltinho inclusive indicação sua;
5 - Improvisar outro meia Fierro na lateral direita;
6 - Escalar o time, na maioria das vezes, com 3 zagueiros e 2 volantes restritos a marcação, para cubrir os laterais, não funcionou;
7 - Colocar o meia Marcelinho Paraíba jogando de atacante;
8 - Solicitar contratações de atacantes, como Vandinho e Josiel e mal utilizá-los e pra completar culpá-los pelo fracasso do ataque. Ora, o Flamengo teve o melhor ataque, com 68 gols;
9 - A sua maneira de agir foi bastante questionada dentro do próprio grupo;
10 - A defesa com dois excelentes zagueiros não teve a cobertura necessária, acabando o campeonato, como a décima mais vazada. Detalhe, nos últimos 3 jogos tomou 10 gols. Absurdo.

Acho que os erros supra-citados tiram qualquer dúvida, em relação a importância de um treinador para um time campeão. Desse modo, não haveria como o Flamengo ser campeão, bem como conseguir a vaga pela Libertadores da América de 2009. O quinto lugar ficou de bom tamanho, pode?

A importância de um treinador - Opinião de torcedor

Ontem foi encerrado mais um campeonato brasileiro. O Flamengo fez uma campanha boa, não há como negar, mas poderia ter sido melhor. Tinha tudo para ser campeão, pois liderou o campeonato no primeiro turno por 10 rodadas, mais o título escapou.
È verdade que a saída de Marcinho, Renato Augusto e Souza, contribuíram para a queda. Na minha modesta opinião, apesar disso o time não poderia perder pontos como aconteceu, infelizmente, de forma vergonhosa. As derrotas contra o Atlético-MG, Cruzeiro (pior visitante do campeonato) e Vitória, no Maracanã e os empates com Goiás e Portuguesa, no Maracanã, foram decisivos para a perda do título. O pior acabou por vir, até a tão sonhada vaga para a Libertadores da América de 2009 não veio. È importante ressaltar a importância de um treinador. Caio Júnior, é um treinador de futuro, foi uma boa aposta pela Diretoria do Flamengo, sem dúvida. Porém, ele não soube aproveitar, ou melhor, administrar a oportunidade recebida, uma pena. Isso é motivo de uma outra discussão que teremos mais adiante.

A campanha do Flamengo no Brasileirão de 2008

--------------------------------------------------------------------------------
campanha
--------------------------------------------------------------------------------

5° lugar (64 pontos)
--------------------------------------------------------------------------------

38 jogos 18 vitórias, 10 empates, 10 derrotas
--------------------------------------------------------------------------------

19 jogos como mandante

11 vitórias
4 empates
4 derrotas
--------------------------------------------------------------------------------

19 jogos como convidado

7 vitórias
6 empates
6 derrotas
--------------------------------------------------------------------------------

estatísticas no brasileirão
critério total média posição
Gols 67 1.76 1°
Gols Sofridos 48 1.26 10°
Finalizações 388 10.21 14°
Assistências 42 1.11 2°
Roubadas de Bola 752 19.79 1°
Passes Errados 1246 32.79 11°
Faltas Cometidas 614 16.16 20°
Faltas Sofridas 746 19.63 6°
Cartões Amarelos 88 2.38 16°
Cartões Vermelhos 7 0.19 14°
Impedimentos 95 2.50 8°

Fonte: http://globoesporte.globo.com/Esportes/Futebol/Estatisticas/0,,ESM1334-9841-283,00.html

sábado, 6 de dezembro de 2008

Léo Moura completa marca importante

Do atual elenco, o lateral passará a ser, contra o Atlético-PR, quem mais vestiu a camisa do Fla

Hugo Perruso
RIO DE JANEIRO

Rafael Cavalieri
RIO DE JANEIRO


A partida contra o Atlético-PR é importante para o futuro do Flamengo, mas ela tem outro motivo para ser especial para Léo Moura. Ao entrar em campo domingo, o lateral será o jogador do atual elenco a disputar mais partidas pelo clube.

Torcedor confesso do Rubro-Negro, Léo Moura terá a honra de vestir pela 196avez a camisa do Flamengo. O lateral ultrapassa Jônatas, com 195. Pelo menos até o início do próximo ano o camisa 2 poderá se vangloriar da marca, já que o volante não enfrentará o Atlético Paranaense e disputou apenas 26 partidas no ano.

– Será uma honra muito grande completar uma marca como essa com a camisa do Flamengo. É o clube pelo qual eu torço desde criança, já entrei em campo como mascote com o Zico e hoje tenho a oportunidade e o orgulho de vestir essa camisa – afirmou Léo Moura.

Antes de chegar ao Flamengo, o lateral podia ser considerado um nômade do futebol. Léo Moura passou por oito clubes e o Rubro-Negro completou o ciclo do lateral pelo futebol do Rio de Janeiro. Há três anos na Gávea, Léo Moura tem muito a comemorar. Foi pelo Rubro-Negro que ele chegou à Seleção Brasileira e conquistou títulos: uma Copa do Brasil e dois Estaduais.

E para comemorar a marca em grande estilo, Léo Moura espera sair de campo com a classificação para a Libertadores de 2009.

– Já passei por muitos clubes, me fixei no Flamengo e pretendo ficar pormuito tempo. Gostaria que essa marca fosse comemorada com a conquista da vaga na Libertadores. Sabemos que será muito difícil, mas se os outros resultados nos ajudarem, ótimo. Vamos pensar nos outros apenas depois de fazer a nossa parte – disse.

Os 195 jogos de Léo Moura são expressivos, mas ainda faltamuito para ele entrar no grupo de jogadores que mais vestiram a camisa rubro-negra. Zinho, o décimo que mais jogou, tem 466.

Fonte: http://www.lancenet.com.br/clubes/FLAMENGO/noticias/08-12-06/445141.stm?leo-moura-completa-marca-importante

Aniversário de uma conquista - Estadual de 1981 (49)


Fonte da foto: http://www.flaestatistica.com/times1981.htm
Flamengo 2x1 Vasco da Gama - Final do Campeonato Carioca de 1981

História

A partir de maio, o Flamengo inicia a disputa de dois campeonatos simultâneos. O Campeonato Estadual e a Taça Libertadores da América. A maior novidade ficou por conta do uniforme. O time volta a usar calções brancos e meias rubro-negras. A camisa é a mesma, com listras largas. O time estréia no Estadual vencendo o Serrano por 2 x 0, o mesmo time que tirara do Flamengo a possibilidade do tetra no ano anterior. O time consegue muitas vitórias no Estadual e se torna o campeão do primeiro turno.
O Vasco se sagra campeão do segundo, e no terceiro turno, o Flamengo volta a jogar com seu time titular e consegue muitas vitórias e acaba por conquista o terceiro turno do Estadual, o que lhe dava uma grande vantagem para a final contra o Vasco, pois além de ganhar dois turnos, também tinha ganho o maior número de pontos em todo o campeonato. Ao Flamengo bastaria um empate para ser campeão. Se perdesse, ainda assim jogaria por novo empate. Caso perdesse de novo, jogaria um terceiro jogo em igualdade de condições.

O Jogo

O Vasco da Gama havia conseguido vencer os dois jogos anteriores da final contra o Flamengo. Mas como o time da colina entrou na decisão com uma grande desvantagem, precisava de outro bom resultado no terceiro jogo da final. Mas foi o Flamengo que saiu na frente no ultimo jogo, marcando o primeiro depois do cruzamento, Nunes cabeceou a bola bateu em Zico e sobrou para Adílio que fez 1 x 0. Mas a vantagem do Flamengo se ampliaria, 4 minutos depois Nunes fez 2 x 0 com gol de fora da área encobrindo o goleiro vascaíno.

A torcida rubro-negra fazia a festa pois a vitória dava o título ao Flamengo, então a partir daí comecaria uma corrida contra o tempo da equipe cruzmaltina que precisava empatar se quisesse se sagrar campeã. O Vasco consegue diminuir aos 38 do segundo tempo, botando mais emoção ainda no clássico e aumentando a pressão vascaína.

Nesse momento entrou em campo Roberto Passos Pereira, o ladrilheiro, torcedor do Flamengo que começou a correr dentro do campo de um lado para o outro com o intuito de esfriar os jogadores vascaíno, que se irritaram e o lateral Gilberto chegou a agredir o torcedor. Mas depois de 5 minutos de paralização o jogo recomeça e nada de importante acontece, após 4 minutos de acréscimo o juiz termina o jogo e o Flamengo se sagra campeão carioca do ano de 1981, sete dias depois o clube seria campeão mundial em cima do Liverpool.

Ficha Técnica
06/12/1981- Maracanã
Flamengo 2x1 Vasco da Gama
Juiz: Alvimar Gaspar dos Reis ;
Público: 169.989;
Gol: Adílio, 20'/1ºT, Nunes 24'/1ºT e Ticão (VAS) 38'/2ºT
Flamengo: Raul, Nei Dias, Marinho, Mozer e Junior (Figueiredo); Andrade, Aílton e Zico , Lico (Chiquinho); Nunes e Leandro. Técnico: Paulo César Carpegiani

Fonte: http://www.flamengo.com.br/flapedia/Flamengo_2x1_Vasco_da_Gama_-_Final_do_Campeonato_Carioca_de_1981

quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

Borgeth - craque do passado




Alberto Borgerth
De Flapédia

Biografia
Nasceu em 3 de Dezembro de 1892, no Rio de Janeiro à Rua Barão de Guaratiba, 57, bairro da Glória.

Filho do Dr. José de Siqueira Alvares Borgerth (Advogado - Chefe de Segurança de D. Pedro II {segundo reinado} e Procurador Geral dos Feitos da Fazenda) e de D. Fánni Maria Borgerth.

Faleceu em 25 de Novembro de 1958 no Rio de Janeiro em sua residência, à Rua Alexandre Ferreira, bairro do Jardim Botânico. Seu corpo foi velado no Clube de Regatas do Flamengo, salão nobre da sede situada no Morro da Viúva. O Féretro seguiu para o cemitério de São João Batista, onde foi sepultado no túmulo de sua família. Durante o cortejo, o caixão foi coberto com a bandeira do Flamengo.


Dados
Nome Completo: Alberto Borgerth
Posição: Atacante
Dia do Nascimento: 3 de Dezembro de 1892
Nascimento: Rio de Janeiro (RJ)
1° jogo: 03/05/1912 (Flamengo 16 x 2 Mangueira)

Vida Esportiva

1906 - Remou pelo Clube de Regatas do Flamengo e jogou futebol no Rio Futebol Clube, espécie de juvenil do Fluminense.
1908 a 1911 - Campeão de futebol pelo Rio Futebol Clube.
1911 - Começou a jogar no primeiro time do Fluminense. No final deste ano, por causa de um desentendimento interno no clube, passou para o Clube de Regatas do Flamengo, que não tinha Seção Terrestre e fundou o Departamento de Futebol.
1914 e 1915 - Bicampeão Carioca de Futebol pelo Flamengo.
1915 - Vice Campeão de Remo pelo Flamengo.
1915 - Formado em Medicina, abandonou o Futebol.

Presidente

Em 1927, o Flamengo vivia um momento político muito difícil, com a punição de ficar afastado dos campos por 1 ano, acabou renunciando. Em seu mandato o Flamengo ganhou nove títulos em vários esportes diferentes, incluindo, futebol, basquete, pólo aquático, tênis e atletismo. Foi presidente no ano de 1927.

Mandato: 1927

Outras Atividades Esportivas
Grande Benemérito do Clube de Regatas do Flamengo.
Membro do Superior Tribunal de Justiça Desportiva.
Diretor da CBD (Confedereção Brasileira de Desportos), hoje CBF (Confederação Brasileiro de Futebol)
Membro do Conselho Nacional de Esportes - CND
Presidente da Federação Metropolitana de Futebol - FMF

Jogador
Títulos
Pelo Fla
1914
. Campeão Carioca de Futebol

1915
. Campeão Carioca de Futebol (Invicto)
. Campeão da Taça Jornal Folha do Norte (PA)

Estatísticas
Ano Jogos Gols
1912 13 11
1913 8 5
1914 7 1
1915 15 4
1916 2 0
Total 45 21

Fonte: http://www.flamengo.com.br/flapedia/Borgerth

quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

Aniversário de uma conquista - Estadual de 1939 (48)



Fonte da foto: http://www.flaestatistica.com/times1939.htm

Chegava ao fim o maior jejum de títulos do Flamengo (12 anos). Graças à política do presidente José Bastos Padilha de abrir as portas do clube a jogadores negros como Domingos da Guia, Newton Canegal, Médio, Jarbas e Leônidas, o Rubro-Negro finalmente tinha um time mais forte e isso culminou com o título de 1939. Dirigido pela primeira vez pelo técnico Flávio Costa, o Mengão foi campeão com uma rodada de antecedência no que se tornou o primeiro título levantado no estádio da Gávea.

Fonte: http://www.lancenet.com.br/hotsite/flamengo2008/30titulos.stm


A campanha do Flamengo em 1939 pode ser vista no site: http://www.campeonatocarioca.kit.net/primeira_divisao/temporadas_anteriores/1939.htm

O time que disputou a última partida foi o seguinte:

C.R. Flamengo 4 x 0 Vasco da Gama (RJ)
Campeonato Carioca - 3º Turno
03/12 - Estadio. Laranjeiras - Rio de Janeiro
Time: Yustrich, Domingos, Newton, Artigas, Volante, Médio, Sá, Valido, Leônidas, Gonzalez e Jarbas.
Gols: Gonzalez(2), Valido e Leônidas.
(C.R. Flamengo Campeão Carioca)

Fonte: http://www.flaestatistica.com/t1939.htm

OBS: Dois detalhes curiosos cercaram essa importante conquista:
1 - A família Da Guia contava com representantes ilustres: Domingos e Médio;
2 - Três argentinos fizeram parte do time campeão: Volante, Valido e Gonzalez, estes dois últimos aliás marcaram na última partida.

Gol de Rondinelli na final do Carioca de 78 completa 30 anos nesta quarta-feira

Título estadual sobre o Vasco ficou eternizado na memória dos torcedores do Flamengo por ter marcado o início da era de ouro do clube rubro-negro

GLOBOESPORTE.COM
Rio de Janeiro

No dia 3 de dezembro de 1978, o zagueiro Rondinelli, também conhecido como o Deus da Raça, entrou para a história do Flamengo graças a um gol de cabeça sobre o maior rival, o Vasco da Gama. Em um Maracanã lotado, o jogador rubro-negro deu o título do Campeonato Carioca para o seu time graças a um cabeçada certeira aos 41 minutos do segundo tempo. Este gol é considerado o marco inicial da chamada era de ouro do Flamengo, que de 1978 a 1983 conquistou quatro Estaduais, três Brasileiros, uma Libertadores e um Mundial sob o comando do ídolo Zico.

A partida foi apitada por José Roberto Wright e contou com um público de 120.433 mil pagantes. Além de Zico, o Rubro-Negro contava com craques como Adílio, Tita e Júnior. Do lado vascaíno, destacavam-se o goleiro Leão, o zagueirão Abel e o eterno ídolo, atual presidente do clube, Roberto Dinamite.

Fonte: http://globoesporte.globo.com/Esportes/Noticias/Times/Flamengo/0,,MUL909268-9865,00-GOL+DE+RONDINELLI+NA+FINAL+DO+CARIOCA+DE+COMPLETA+ANOS+NESTA+QUARTAFEIRA.html