Total de visualizações de página

sábado, 31 de janeiro de 2009

Aniversário de uma conquista - Torneio Triangular Gilberto Alves (83)

O Flamengo no início do ano de 1965 começou disputando e vencendo um torneio disputado em Goiânia. O time que participou dessa competição contava com jogadores remanescentes do título estadual de 1963.

Os campeões foram os seguintes:

C.R. Flamengo 0 x 0 Vasco da Gama (RJ)
Torneio Triangular Gilberto Alves - GO
31/01 - Estadio: Pedro Ludovico - Goiânia - GO
Time: Marcial, Murilo, Ananias, Paulo Henrique, Carlinhos, Fefeu, Carlos Alberto, Airton(Amauri), Paulo Alves(Evaristo) e Fraga.
(C.R. Flamengo Campeão)

Fonte: http://www.flaestatistica.com/t1965.htm

Obina - outro baiano artilheiro de partidas decisivas


Obina

Manuel de Brito Filho

Biografia

Obina foi formado no Vitória da Bahia, e começou a ser titular na equipe profissional logo aos 18 anos. Em 2003, foi para o Fluminense de Feira de Santana, e em 2004, foi campeão baiano de 2004, e fez 18 gols no Brasileirão do mesmo ano. Graças a isso, foi transferido para o Al Ittihad da Arábia.

O centroavante voltou para o Brasil em 2005, e foi para o Flamengo, onde jogou mal, foi vaiado, até que no final do Brasileirão de 2005, fez gol decisivo contra o Paraná, livrando a equipe do Flamengo do Rebaixamento, e começou, como uma fênix, a ressurgir das cinzas.

Em 2006, virou ídolo da Nação Rubro-Negra. Ganhou canto comparando-o ao camaronês Samuel Eto’o, ganhou o apelido de Anjo Negro, e passou a ser referência no ataque. Com muita honra ao Manto Sagrado, garra, e gols, muitos aos trancos e barrancos, mas outros, muito bonitos, Obina conquistou a torcida rubro-negra, e em 2007 chegou a ser sondado pela Juventus, da Itália.

Passou por um momento difícil na carreira no mesmo ano quando ao marcar um gol contra o Vasco, na Semi-Final da Taça Guanabara, caiu de mau jeito e fraturou o joelho ficando quatro meses fora dos gramados.

2008 foi um ano de menos expectativa em cima do jogador, Obina começou muitos jogos na reserva mas era uma das principais opções e por muitas vezes entrava no segundo tempo. Mesmo so tendo começado 19 partidas no ano como títular foi o vice artilheiro do clube na temporada marcando 15 gols. Além disso o atacante atingiu uma grande marca se tornando o quinto maior artilheiro da história do clube em Campeonatos Brasileiros.

Dados
Nome Completo: Manuel de Brito Filho
Dia do Nascimento: 31 de Janeiro de 1983(31-Predefinição:Pad2digit-Predefinição:Pad2digit) (26 anos)
Nascimento: Vera Cruz (BA)
Altura: 1,83m
Peso: 86 kg
1° jogo: 13/04/2005 (Flamengo 0 x 2 Ceará)

Histórico
Anos Time
2001-2002 Vitória
2003 Fluminense de Feira
2003 CRB
2004-2005 Vitória
2005-2009 Flamengo

Títulos
Pelo Flamengo
Copa do Brasil 2006
Taça Guanabara 2007
Campeonato Carioca 2007
Taça Guanabara 2008
Campeonato Carioca 2008
Por outros Clubes
Vitória
Campeonato Baiano: 2004
Estatísticas
Ano
2005 23(7) Jogos 7 Gols Marcados 7 Cartão Amarelo 0 Cartão Vermelho
2006 27(18) Jogos 16 Gols Marcados 3 Assistências 7 Cartões Amarelos 1 Cartão Vermelho
2007 16(15) Jogos 9 Gols Marcados 6 Assistências 1 Cartão Amarelo 0 Cartão Vermelho
2008 19(38) Jogos 15 Gols Marcados 12 Assistências 8 Cartão Amarelo 2 Cartões Vermelhos
2009 2 Jogos 0 Gol Marcado 1 Assistência 0 Cartão Amarelo 0 Cartão Vermelho
Total 165 Jogos 47 Gols Marcados 22 Assistências 23 Cartões Amarelos 3 Cartões Vermelhos

Retirado de "http://www.flamengo.com.br/flapedia/Manuel_de_Brito_Filho"

Feliz, Jônatas não pensa em sair


Jônatas espera por um ano melhor (Crédito: Paulo Sérgio)
Volante diz que se o Rubro-Negro investir nele não vai se arrepender

Rodrigo Benchimol
ENVIADO ESPECIAL. EM VOLTA REDONDA

Se 2008 foi um ano para ser esquecido, Jônatas começou 2009 com moral com a torcida, que gritou seu nome no jogo contra o Bangu, pedindo a sua entrada. Aos poucos, o cabeça-de-área também vai conquistando a confiança do treinador, que o colocou no segundo tempo.

Os cerca de 30 minutos em campo foram bem aproveitados. Apresentou o mesmo futebol praticado diariamente nos treinos e deu o cartão de visitas. Em entrevista exclusiva ao LANCENET!, Jônatas disse que 2009 será um ano para reconquistar seu espaço no Flamengo.

– Vi que parte da torcida cantou meu nome. Entrei motivado. Estava sentindo falta daquilo. Tive a oportunidade e acho que fui bem. Mas sei que posso render mais. Ainda tenho de melhorar muito. Estou há muito tempo sem jogar (o último jogo foi contra o Grêmio, dia 21 de agosto de 2008) e ainda sinto falta de ritmo. Mas vou tentar conquistar meu espaço – disse o volante, cujo contrato terminará em junho.

O Flamengo ainda deve 300 mil euros (cerca de R$ 887 mil) ao Espanyol (ESP) pelo empréstimo de 18 meses. Se a diretoria quiser, pode pagar mais 1,6 milhão de euros (cerca de R$ 4,7 milhões) para comprar os direitos econômicos dele. Um valor alto, mas que o próprio Jônatas fará de tudo para provar que vale a pena.

– Sei que existe uma crise no mundo e que o Flamengo também atravessa dificuldades. Então não vou ficar pensando no que vai acontecer. Sei que farei a minha parte. Meu objetivo é ser titular. Se depender de mim eu não saio daqui – finalizou.

Fonte: http://www.lancenet.com.br/clubes/FLAMENGO/noticias/09-01-30/478322.stm?feliz-jonatas-nao-pensa-em-sair

Este blog mais uma vez comentou do raro talento que possui o cearanse Jônatas - ver reportagem A importância de um treinador - parte 2 no link abaixo:
http://mengo1895.blogspot.com/2008/12/importncia-de-um-treinador-parte-2.html. Não à toa Édson Mauro, excelente narrador da Rádio Globo, se referia a ele chamando-o de ZIDANE NORDESTINO quando na transmissão da partida contra o Bangu. Apelido na minha modesta opinião merecido.

Valido - ídolo argentino


Gol de Valido na Final de 1944
Gol de Válido que garantiu o primeiro Tricampeonato para o Flamengo.

Foto: Flaestatistica.

Agustín Valido
De Flapédia

Biografia

Agustín Valido foi um jogador de futebol argentino de Buenos Aires que foi ídolo no Flamengo, marcou 45 gols em sua passagem sendo o mais importante na final do Campeonato Carioca de 1944 que garantiu o primeiro Tricampeonato carioca do Flamengo em sua história. Veio para o Flamengo do Boca Juniors. Mas, sua história é especial. Agustín largou o futebol. No entanto, retornou ao Flamengo a tempo de disputar a final do campeonato carioca de 1944, contra o Vasco. Ele havia aparecido na Gávea para disputar uma pelada com operários da sua gráfica. Relutante, Valido aceitou convite do técnico Flávio Costa, e voltou aos gramados, marcando presença na goleada de 6x1 contra o Fluminense, e marcando o gol do tricampeonato de 42-43-44. O jogador era pura simpatia e afirmou que o Flamengo foi a maior emoção de sua vida.

Dados
Nome Completo: Agustín Valido
Data de Nascimento: 31 de Janeiro de 1914, em Buenos Aires (Argentina)
Posição: Atacante
Estréia: 22/08/1937
Despedida: 29/10/1944
Nº de Jogos: 143
Nº de Gols: 45


Histórico
Anos Time
1937-1944 Flamengo

Títulos
Flamengo
1942
Campeonato Carioca
1944
Campeonato Carioca
Estatísticas
Ano
1937 16 Jogos 3 Gols Marcados
1938 37 Jogos 14 Gols Marcados
1939 24 Jogos 14 Gols Marcados
1940 15 Jogos 1 Gols Marcados
1941 15 Jogos 2 Gols Marcados
1942 34 Jogos 11 Gols Marcados
1943 4 Jogos 0 Gols Marcados
1944 2 Jogos 1 Gols Marcados
Total 143 Jogos 45 Gols Marcados

Retirado de "http://www.flamengo.com.br/flapedia/Agust%C3%ADn_Valido"

sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

Willians festeja vitória do Fla no aniversário


Willians vem muito bem em seu início pelo Fla (Crédito: Cléber Mendes)
LANCEPRESS!

Volante completou 23 anos na quinta-feira, dia da vitória sobre o Bangu

A vitória desta quinta-feira sobre o Bangu teve um gostinho especial para um jogador do Flamengo. Foi um presente de aniversário para o volante Willians, que completou 23 anos.

O dia foi tão completo para Willians que ele foi muito aplaudido pela torcida rubro-negra por conta da raça demonstrada durante a partida.

- Foi um dos melhores aniversários da minha vida. Fiquei muito feliz. Depois do jogo o pessoal ainda fez um bolinho aqui pra mim. Foi bem legal - declarou.

Fonte: http://www.lancenet.com.br/clubes/FLAMENGO/noticias/09-01-30/477970.stm?willians-festeja-vitoria-do-fla-no-aniversario

Mais notícias sobre o aniversariante de ontem podem ser vistas e lidas no link:
http://globoesporte.globo.com/Esportes/Noticias/Times/Flamengo/0,,MUL979914-9865,00.html

Este blog apostou nessa jovem promessa, conforme reportagem anterior, intitulada A temporada vai começar, que pode ser encontrada no link:
http://mengo1895.blogspot.com/2009/01/temporada-vai-comear.html

Aniversário de uma conquista - Torneio Libertad (82)

O ano de 1993 entrou para a história do Flamengo. Ao todo, foram 91 partidas em competições diferentes. Nos seus dois primeiros jogos, do citado ano o time disputou um torneio na Argentina e foi campeão. Para isso, esbancou dois times argentinos, conforme discriminado a seguir.


C.R. Flamengo 2 x 0 Velez Sarsfield (ARGENTINA)
Torneio Libertad - Argentina
30/01 - Estádio: Jose Almafitami - Buenos Aires - Argentina
Time: Gilmar, Fabinho, Júnior Baiano, Gotardo, Rogério, Josecler, Marquinhos, Júnior, Nélio, Gaúcho(Marcelinho) e Nilson.
Gols: Nilson e Nélio.

2) C.R. Flamengo 3 x 0 Huracan (ARGENTINA)
Torneio Libertad - Argentina
30/01 - Estádio: Jose Almafitami - Buenos Aires
Time: Gilmar, Fabinho, Júnior Baiano, Gotardo, Rogério, Piá, Marquinhos, Júnior(Djalminha), Nélio(Júlio Cesar), Marcelinho e Nilson.
Gols: Nilson(2) e Djalminha.
( C.R. Flamengo CAMPEÃO )
Obs.: Este torneio constava de jogos com dois tempos de 15 minutos.

Fonte: http://www.flaestatistica.com/t1993.htm
Almanaque do Flamengo de Roberto Assaf e Clóvis Martins, página 388, Editora Abril S/A, São Paulo-SP, 2001.

Aniversário de uma conquista - Taça Dr. Manoel dos Reis e Silva (81)

Há passados 35 anos o Flamengo obtia o seu primeiro grande triunfo de 1974. Para isso, o bom time formado naquele ano teve que superar o tradicional Vila Nova de Goiás, em seus domínios.

C.R. Flamengo 4 x 0 Vila Nova (GO)
Taça Dr. Manoel dos Reis e Silva
30/01 - Quarta-Feira
Estádio: Pedro Ludovico - Goiânia - GO
Time: Renato, Rodrigues Neto, Chiquinho, Jaime(Rondineli), Mineiro, Paulo Roberto(Geraldo), Afonsinho, Rogério(Paulinho), Dario, Zico e Arilson.
Gols: Dario, Paulinho(2) e Geraldo.
(Flamengo campeão)
T:Joubert

Fonte: http://www.conteudoesportivo.com.br/html/futebol/camp/fut_sumula.asp?codcampeonato=3472&numjogo=1
http://www.flaestatistica.com/t1974.htm

quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

Fla vira jogo no fim e vence o Bangu

Marcelinho Paraíba e Ronaldo Angelim marcaram os que colocaram o rubro-negro na liderança do grupo B da Taça Guanabara.

Com um gol de cabeça de Ronaldo Angelim, aos 45 minutos do segundo tempo, o Flamengo venceu o Bangu por 2 a 1, nesta tarde de quinta-feira, em Volta Redonda. Com a vitória, o rubro-negro assumiu a liderança do grupo B da competição, com seis pontos conquistados. Na próxima rodada o Flamengo enfrenta o Volta Redonda, às 17h, novamente no Estádio Raulino de Oliveira.

A partida começou com as duas equipes se estudando muito e poucas chances de gol. A primeira boa chance da equipe da Gávea foi aos 21 minutos. Léo Moura cruzou e Obina cabeceou com perigo. Oito minutos depois o rubro-negro assustou novamente através de uma jogada de bola parada. Juan cobrou falta da intermediária e Fábio Luciano quase abriu o placar para o Fla.

Aos 33 minutos, Obina recebeu de Léo Moura na grande área, deu um chapéu no zagueiro, e chutou com estilo para a defesa de Diogo. Aos 38, Juan fez boa jogada pela esquerda e foi derrubado por Uilian dentro da área. Pênalti marcado por Djalma Beltrami. Obina bateu com força, mas a bola explodiu na trave esquerda de Diogo.

O Flamengo voltou para o segundo tempo com o argentino Maxi na vaga de Kleberson. Aos 10 minutos, Willians cruzou da direita e Obina cabeceou. Diogo salvou o Bangu. Dois minutos depois o time rubro-negro foi surpreendido. Douglas Silva recebeu na área, chutou na trave, e no rebote, Rafael Soeiro marcou: 1 a 0 Bangu.

Cuca mexeu novamente na equipe, colocando Marcelinho Paraíba e Jônatas nas vagas de Juan e Airton. A equipe da Gávea melhorou e passou a criar mais chances de gol. Aos 23 minutos, Léo Moura pegou rebote na entrada da área e chutou com perigo, rente à trave esquerda de Diogo.

Aos 35 minutos, Marcelinho Paraíba chutou de fora da área e quase empatou para o Fla. Logo depois, Maxi fez boa jogada na grande área e chutou com força. Diogo defendeu. Aos 38 minutos, Marcelinho Paraíba experimentou de longe e Diogo fez bela defesa.

O Flamengo pressionava muito e Ibson acertou o travessão de Diogo aos 39 minutos, após belo chute da entrada da área. Um minuto depois, Maxi sofreu pênalti de Rafael Soeiro. Marcelinho Paraíba cobrou com categoria e empatou o jogo: 1 a 1 em Volta Redonda.

Mostrando bastante raça e disposição, o Flamengo virou aos 45 minutos. Marcelinho levantou na área e Ronaldo Angelim subiu para marcar: 2 a 1 Flamengo.

FICHA TÉCNICA:
BANGU 1 X 2 FLAMENGO

Local: Raulino de Oliveira, Volta Redonda (RJ)
Data/hora: 29/1/2009 - 16h30 (de Brasília)
Árbitro: Djalma Beltrami (RJ)
Auxiliares: Dibert Pedrosa Moisés (RJ) e Cláudio José de Oliveira (RJ)
Renda/Público: R$ 64.330,00 / 4.694 pagantes (6.027 presentes)
Cartões amarelos: Edinho, Bruno Luiz, Douglas Silva, Márcio Cleick, Marcus Vinícius, Willian, Rafael Soeiro (BAN); Kleberson, Ibson (FLA)
Cartões vermelhos: Não houve.
Gols: Rafael Soeiro, 13'/2ºT; Marcelinho Paraíba, 40'/2ºT; Ronaldo Angelim, 44'/2ºT.

BANGU: Diogo, Willian (Flavinho, 28'/2ºT), Abílio, Márcio Cleik e André Oliveira; Edinho, Douglas Silva, Marcus Vinícius e Paulo Roberto (Rafael Soeiro, 7'/2ºT); Bruno Luiz e Somália (Sassá, 16'/2ºT). Técnico: Edson Souza.

FLAMENGO: Bruno, Aírton (Jônatas, 20'/2ºT), Fábio Luciano e Ronaldo Angelim; Léo Moura, Willians, Kleberson (Maxi, intervalo), Ibson e Juan (Marcelinho Paraíba, 13'/2ºT); Everton e Obina. Técnico: Cuca.

Fonte: http://www.flamengo.com.br/portal//AgenciaFla/Fla-vira-jogo-no-fim-e-vence-o-Bangu

quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

Aniversário de uma conquista - Troféu Alencar Pires Barroso (80)

Há exatos 30 anos o Flamengo iniciava um dos maiores anos da história do clube. E nada melhor do que um clássico Fla x Flu pra começar o ano e de goleada, então...

O time campeão foi o seguinte:

C.R. Flamengo 4 x 0 Fluminense (Friburgo - RJ)
Troféu Alencar Pires Barroso
28/01 - Domingo
Estádio: Eduardo Guinle - Friburgo - RJ
Time: Cantarele, Toninho, Manguito, Nelson, Júnior, Carpegiani, Adilio, Zico, Reinaldo(Luisinho), Claudio Adão e Júlio Cesar.
Gols: Mimi(contra), Júlio Cesar, Adilio e Zico.
(C.R. Flamengo Campeão)

Fonte: http://www.flaestatistica.com/t1979.htm
http://www.conteudoesportivo.com.br/html/futebol/camp/fut_sumula.asp?codcampeonato=3488&numjogo=1

Flamengo muda para o jogo contra o Bangu


Flamengo volta a enfrentar o Bangu após quatro anos (Crédito: Arte: Luiz Cláudio Dionysio)

O Flamengo realizará amanhã a sua segunda partida no campeonato estadual de 2009. O adversário dessa vez é o Bangu. Para esse jogo, o time vai começar com Everton no ataque. Nesse caso, sai Marcelinho Paraíba. Mudança acertada, pois a atuação na primeira partida somada ao calor forte provavelmente na hora da partida - que será realizada às 16:30 hs (hora de Brasília) - no Estádio Raulino de Oliveira na cidade de Volta Redonda é preocupante e vejo que a idade pode fazer a diferença. Por essas razões, acredito que o técnico Cuca tenha feito a melhor escolha. Espero realmente que dê certo.
Curiosidades Flamengo X Bangu: Na estatística com o Flamengo, a desvantagem do Bangu é flagrante. Foram 142 derrotas, 40 empates e apenas 63 vitórias, sendo a última há quase sete anos, quando derrotou o time da Gávea por 2 a 1, pelo Campeonato Carioca de 2002.

Fontes consultadas: http://www.bangu.net/novidades/090128.php
http://www.lancenet.com.br/clubes/FLAMENGO/noticias/09-01-28/476523.stm?com-uma-mudanca-fla-encara-o-bangu

domingo, 25 de janeiro de 2009

Aniversário de uma conquista - Troféu Governador Roberto Santos (79)

Em 1976 o Flamengo conquistou o seu primeiro troféu na Bahia. O time campeão abaixo tinha dois representantes da "boa terra" como é conhecido carinhosamente esse estado nordestino, os quais foram: Merica e Dendê. Nesse time montado pelo competente técnico gaúcho Carlos Froner existia dois irmãos bons de bola: Caio Cambalhota e Luisinho Lemos.

Itabuna AC BA 0 X 5 Flamengo RJ

Data: 25/1/1976 - Domingo
Estádio: Luis Viana Filho, Itabuna - BA

Time: Cantareli, Júnior, Rondineli, Jaime, Vanderlei, Merica, Tadeu, Zico, Paulinho(Dendê), Luisinho(Caio) e Zé Roberto.
Gols: Caio(3), Zico e Luisinho.
(Flamengo campeão)

T:Carlos Froner

Fonte: http://www.conteudoesportivo.com.br/html/futebol/camp/fut_sumula.asp?codcampeonato=3476&numjogo=1
http://www.flaestatistica.com/t1976.htm
http://www.flaestatistica.com

Flamengo estreia com vitória


Flamengo vence o Friburguense por 1 a 0 e começa bem a sua luta pelo tricampeonato carioca. Juan marcou o gol da vitória no segundo tempo.

Na luta pelo tricampeonato carioca, o Flamengo venceu o Friburguense por 1 a 0, na tarde deste domingo, no Maracanã. Juan marcou no segundo tempo o gol da primeira vitória rubronegra na temporada 2009. Com o resultado, a equipe da Gávea lidera o grupo B do campeonato estadual, junto com Botafogo, Macaé e Mesquita. A partida marcou a reestréia do técnico Cuca sob o comando da equipe.

O jogo começou com o Flamengo dominando o meio de campo, mas encontrando dificuldades para penetrar na área do Friburguense. A equipe do interior marcava com praticamente todos os jogadores atrás da linha da bola, o que dificultava o trabalho do ataque rubronegro. Aos 10 minutos, Cassiano bateu falta na entrada da área e Bruno defendeu com segurança. Logo depois, Willians invadiu a área e chutou forte. Adriano salvou o Friburguense.

Aos 21 minutos, Victor Hugo driblou Willians, chutou forte, e Bruno defendeu. No rebote, Crispin bateu de primeira e Fábio Luciano cortou para escanteio. Aos 29 minutos, Airton cruzou na área e Obina cabeceou. Adriano defendeu mais uma para a equipe de Friburgo. Seis minutos depois, novo milagre de Adriano. Após cruzamento de Ibson, Obina chutou forte e o goleiro do Friburguense cortou para escanteio.

No último bom lance da equipe da Gávea no primeiro tempo, Kleberson fez linda jogada pela esquerda e chutou bonito da entrada da área. Adriano pegou mais uma.

Na volta para a segunda etapa, o rubronegro voltou com Everton na vaga de Marcelinho Paraíba. Aos 13 minutos, primeiro gol do Flamengo na temporada 2009. Após Cruzamento de Léo Moura, Obina chutou, e a bola sobrou para Juan marcar: 1 a 0 Flamengo no Maracanã.

A equipe do técnico Cuca teve mais duas boas chances de ampliar. A primeira com Obina, que perdeu grande oportunidade na frente de Adriano, e em seguida com Ibson, que aproveitou cruzamento de Léo Moura para cabecear com perigo.

Aos 35 minutos, Ibson recebeu na entrada da área e chutou rente a trave esquerda de Adriano. O Flamengo tocou a bola e esperou o apito final do árbitro para comemorar a sua primeira vitória no Campeonato Carioca.

FICHA TÉCNICA:
FLAMENGO 1 X 0 FRIBURGUENSE

Estádio: Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
Data/hora: 25/01/2009 - 17h (de Brasília)
Árbitro: Leonardo Garcia Cavaleiro (RJ)

Renda/público: R$ 562.847,00/ 34.132 pagantes

Cartões amarelos: Ronaldo Angelim, Leonardo Moura (FLA); Gilson, Alex (FRI)
Cartões vermelhos: Não houve

GOLS: Juan, 12'/2ºT (1-0)

FLAMENGO: Bruno, Aírton, Fábio Luciano e Ronaldo Angelim; Leonardo Moura, Willians, Kleberson (Fierro, 30'/2ºT) , Ibson e Juan (Toró, 40'/2ºT); Marcelinho Paraíba (Everton, intervalo) e Obina. Técnico: Cuca.

FRIBURGUENSE: Adriano, Wallace, Crispin, Cadão e Gilson; Sergio Gomes, Elan (Emerson, 25'/2ºT), Victor Hugo (Ziquinha, 25'/2ºT) e Cassiano; Alex (Hércules, 14'/2ºT) e Tiago. Técnico: Cleimar Rocha.

Fonte: http://www.flamengo.com.br/portal//AgenciaFla/Flamengo-estreia-com-vitoria

Aniversário de uma conquista - Torneio Octogonal de Verão (78)


Fonte da foto: http://www.flaestatistica.com/times1961.htm

O ano de 1961 marcaria uma nova época para o Flamengo, pois o clube ganharia uma competição internacional de grande expressão, o Torneio Octogonal de Verão. Esse torneio contou com a participação de adversários de grande tradicão sul-americana, os times da Argentina - River Plate e Boca Juniors e do Uruguai - Nacional e Cerro, além dos times brasileiros - Corinthians, São Paulo e Vasco.

C.R. Flamengo 2 x 0 Cerro (Uruguai)
Torneio Octogonal de Verão
25/01 - Estádio: Centenário - Montevidéu - Uruguai
Time: Ari(Fernando), Joubert, Bolero, Jordan, Nelinho, Carlinhos, Othon(Manuelzinho), Moacir, Henrique, Gerson e Babá.
Gols: Gerson(2).
(C.R. Flamengo Campeão)

Fonte: http://www.flaestatistica.com/t1961.htm

Fla x Friburguense: duelo de entrosados


Fla e Friburguense se enfrentam no Maracanã (Crédito: Arte de Adriano Dyonisio)
LANCEPRESS!

Times, que estreiam neste domingo, mantiveram a base

Atual bicampeão estadual, o Flamengo começa neste domingo a sua trajetória rumo ao seu quinto tricampeonato carioca, às 17h, contra o Friburguense, no Maracanã. Com boa parte da base do ano passado mantida, os dois clubes possuem vários remanescentes do jogo válido pelo Estadual de 2008.

O lateral-direito Leonardo Moura é um deles pelo lado rubro-negro. Ele participou da goleada por 4 a 1 no ano passado. Ele, inclusive, marcou o quarto gol do Fla. Marcinho (dois) e Renato Augusto, que já estão atuando no exterior, fizeram os outros gols do clube da capital. O camisa 2 revelou-se impressionado com a continuidade da equipe do Friburguense durante anos e previu jogo difícil para o Flamengo.

– Desde que me entendo por jogador profissional, eles têm praticamente o mesmo time. Já os enfrentei várias vezes e é sempre uma dificuldade. Eles também se conhecem, mas vamos tentar acabar com este entrosamento – declarou Léo.

Quem também estava presente no confronto de 2008 é o zagueiro Ronaldo Angelim, que não escondeu a preocupação com a base mantida pelo adversário. Ele torce para que o entrosamento rubro-negro sobressaia comparando-se ao do Tricolor serrano.

– É uma dificuldade a mais com certeza, mas também é sinal de que teremos um grande jogo. Estamos juntos há quase dois anos e tam bém estamos muito entrosados. Vamos procurar jogar com calma para conseguirmos a vitória – disse Ronaldo Angelim, num misto de receio e confiança.

Este será o primeiro teste do técnico Cuca em seu retorno ao Flamengo depois da fraca passagem pela Gávea em 2005. Em relação ao time que terminou o Brasileiro do ano passado da quinta colocação, ainda sob comando de Caio Júnior, apenas uma mudança: o volante Willians herdou a vaga de Jaílton, que foi para o Fluminense.

Apesar do aparente equilíbrio em relação ao entrosamento das equipes, o Flamengo jamais teve problemas quando o adversário foi o Friburguense. Em 24 confrontos na história, foram 21 vitórias rubro-negras e três empates. O clube serrano jamais venceu. A maior goleada foi pelo Carioca de 2000, quando o Fla fez impiedosos 7 a 1.

Fonte: http://www.lancenet.com.br/clubes/FLAMENGO/noticias/09-01-25/474264.stm?fla-x-friburguense-duelo-de-entrosados

Aniversário de uma conquista - Troféu Sérgio de Loreto (77)

Em seu quarto e penúltimo jogo em Recife-PE o Flamengo levaria para a Gávea o quarto troféu no ano de 1925. Essa última conquista recebeu o nome do governador de Pernambuco Sérgio de Loreto.

Sel. Pernambucana PE 0 X 2 Flamengo RJ

Data: 25/1/1925 - Domingo
Estádio: Não Definido,
Time: Ismael, Pennaforte, Telefone, Hermínio, Seabra, Moura, Nilton, Vadinho,
Antoninho,Junqueira e Moderato

T:José Seabra

Gols: Vadinho (2)

Fonte: http://www.conteudoesportivo.com.br/html/futebol/camp/fut_sumula.asp?codcampeonato=3402&numjogo=1
http://www.flaestatistica.com/t1925.htm

quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

Aniversário de uma conquista - Troféu Jornal do Commércio de PE (76)

O terceiro jogo do Flamengo em 1925 foi em terras pernambucanas, como os anteriores. Da mesma forma que as demais partidas, o time disputava mais um troféu. O resultado foi a segunda vitória no ano. Dessa feita, a vitima seria outro clube tradicional de Recife, o Santa Cruz. Marcaram nessa partida, dois atacantes de destaque na década de 20, Vadinho e o ponta-esquerda Moderato, um dos melhores da história do Flamengo.

Os campeões

C.R. Flamengo 3 x 0 Santa Cruz (PE)
Troféu Jornal do Commércio de Pernambuco.
22/01 - Quinta-Feira
Estádio: ? - Recife - PE
Time: Ismael, Penaforte, Telefone, Moura, Antoninho, Benevenuto, Nilton, Leite de Castro, Vadinho, Moderato e Elmir.
Gols: Vadinho(2) e Moderato.
(C.R.Flamengo Campeão)
Técnico: José Seabra

Fonte: http://www.conteudoesportivo.com.br/html/futebol/camp/fut_sumula.asp?codcampeonato=3401&numjogo=1
http://www.flaestatistica.com/t1925.htm

Obina promete

Rio de Janeiro- Em quase todos os treinos do Flamengo, o atacante Obina tem deixado a sua marca de artilheiro. O bom desempenho do jogador vem provocado uma empolgação desmedida do técnico Cuca.
Ao analisar o anjo negro da Gávea, o comandante rubro-negro não poupou elogios.

"Obina tem tudo para vingar neste ano e ser um dos artilheiros do Brasil. Ele é guerreiro, cabeceia muito bem e funciona como referência" diz o jogador.

O atacante anda sorridente pela Gávea. Desde 2007, quando teve uma grave lesão no joelho, após marcar um gol em cima do rival Vasco, ele não iniciava um ano tão bem.

"A fase realmente está muito boa. Estou me sentindo feliz, disposto a ajudar o Flamengo e fazer muitos gols esse ano" declara Obina.

Fonte: http://jsports.uol.com.br/portal/processa.php?modulo=montasecao&secao=2&materia=78261&pg=1&st=flamengo&mt=obina_promete

quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

Aniversário de uma conquista - Torneio de Verão de Friburgo (75)

O primeiro jogo do Flamengo no ano de 1990 foi contra o Cantagalo (RJ). Nessa partida estava em disputa o Torneio de Verão de Friburgo. Os campeões foram os seguintes:

C.R. Flamengo 5 x 0 Cantagalo (RJ)
Torneio de Verão de Friburgo
21/01 - Domingo
Estádio: Eduardo Guinle - Friburgo - RJ
Time: Zé Carlos(Zé Carlos Paulista), Júnior, Leandro, Fernando, Josimar(Alcindo), Uidemar, Ailton, Edu, Zinho(Leonardo), Renato e Bujica.
Gols: Renato(2), Zinho, Bujica e Edu.
Técnico: Valdir Espinosa
( C.R. Flamengo CAMPEÃO )

Fonte: http://www.flaestatistica.com/t1990.htm
http://www.conteudoesportivo.com.br/html/futebol/camp/fut_sumula.asp?codcampeonato=3511&numjogo=1

Time titular para a estreia é divulgado por Cuca, com Willians entre os 11

Meio-campista se destaca nos treinamentos e ganha a vaga de Everton

Eduardo Peixoto
Rio de Janeiro
Tamanho da letra
A- A+

Logo após o treinamento desta quarta-feira na Gávea, sob forte chuva, o técnico Cuca confirmou o que já era esperado: devido aos bons coletivos que têm feito, o volante Willians ganhou a vaga de Everton no meio-campo. Com isso, Marcelinho Paraíba volta a jogar um pouco mais adiantado na estreia do Flamengo no Campeonato Carioca, domingo, às 17h, no Maracanã, contra o Friburguense.

No trabalho desta quarta, Cuca comandou durante uma hora um treino-tático seguido de um mini-coletivo. Durante 20 minutos, o treinador pediu que os titulares marcassem os reservas por pressão. E o resultado foi excelente, já que os suplentes tiveram muitas dificuldades até mesmo para ultrapassar a linha de meio-campo.

A única alteração feita por Cuca no time principal durante a atividade foi a entrada de Everton no lugar de Aírton. Segundo ele, é uma substituição experimental para uma situação em que o time precise ser mais ofensivo. Os titulares venceram o coletivo por 1 a 0, gol de Obina.

O Flamengo vai para campo enfrentar o Friburguense com: Bruno, Aírton, Fábio Luciano, Ronaldo Angelim, Leo Moura, Willians, Ibson, Kleberson e Juan; Marcelinho Paraíba e Obina.

Fonte: http://globoesporte.globo.com/Esportes/Noticias/Times/Flamengo/0,,MUL966101-9865,00-TIME+TITULAR+PARA+A+ESTREIA+E+DIVULGADO+POR+CUCA+COM+WILLIANS+ENTRE+OS.html

Aniversário de duas conquistas - Taça Cidade do Rio de Janeiro e Troféu Rede Tupi de TV (73 e 74)

O ano de 1973 não seria um grande ano para o Flamengo. Apesar disso, a sua sina de conquistas jamais se abalaria. A primeira delas veio de forma dupla. Hoje faz exatamente 36 anos que o clube ganharia de uma só vez a Taça Cidade do Rio de Janeiro e o Troféu da Rede Tupi de TV. No time campeão, estava uma promissora revelação que, alguns anos, depois seria o maior craque da história do Flamengo, ZICO. O título, ora em questão, teve um sabor especial pelo adversário, o arqui-rival de longa data, conforme discriminado logo abaixo.

C.R. Flamengo 1 x 0 Vasco da Gama (RJ)
Taça Cidade do Rio de Janeiro e Troféu Rede Tupi de TV
21/01 - Estádio: São Januario - Rio de Janeiro
Time: Renato, Moreira, Chiquinho, Fred, Rodrigues Neto, Liminha, Paulo Cesar, Vicentinho, Caio, Zico e Arilson.
Gol: Paulo Cesar.
(C.R. Flamengo Campeão)

Fonte: http://www.flaestatistica.com/t1973.htm

Claúdio Coutinho - o grande mestre


Cláudio Pecego de Moraes Coutinho
De Flapédia

Introdução

Nascido na pequena cidade gaúcha de Dom Pedrito, próxima à fronteira com o Uruguai, Coutinho mudou-se para o Rio de Janeiro, quando tinha somente quatro anos de idade.

Vivendo na Cidade Maravilhosa, Coutinho ingressou na Escola Militar e seguiu carreira, chegando ao posto de Capitão de Artilharia. Por outro lado, também demonstrava grande interesse para área esportiva, tanto que se graduou na Escola de Educação Física do Exército.

Em 1968, foi escolhido para representar sua Escola em um Congresso Mundial, realizado nos Estados Unidos. Lá conheceu o professor norte-americano Kenneth Cooper, idealizador do famoso método de avaliação física que leva o seu nome. Convidado pelo mesmo, freqüentou o Laboratório de Estresse Humano da NASA. Dando prosseguimento às suas experiências internacionais, defendeu tese de mestrado na Universidade de Fontainbleau, na França.

Ínicio da carreira
Em 1970 foi chamado para ser preparador físico da Seleção Brasileira, tricampeã mundial no México. Nos treinamentos, passou a trabalhar com o Método de Cooper, sendo a partir daí conhecido por seu o seu introdutor no Brasil. Após a competição, trabalhou - agora como treinador - na Seleção Peruana, como coordenador técnico do Brasil na Copa de 1974, no time francês do Olympique de Marselha e na Seleção Brasileira Olímpica, levando-a ao quarto lugar nas Olimpíadas de Montreal de 1976. No mesmo ano, passou a treinar o Flamengo.

O relativo bom desempenho nesses lugares, além de seu histórico dentro da Confederação Brasileira de Desportos, o credenciaram para ser o substituto de Osvaldo Brandão dentro da Seleção Brasileira de Futebol, então postulante à uma vaga na Copa do Mundo de 1978, na Argentina. A escolha de seu nome causou certa surpresa, já que era considerado pouco experiente para o cargo. Assim, Cláudio Coutinho quase começava por onde todos terminavam. Logo que assumiu o comando, Coutinho tratou de implantar sua filosofia própria. Na época o futebol brasileiro sofria com uma controvérsia em relação à sua própria essência. O fracasso na Copa do Mundo de 1974, aliado a outros fatores, levaram muitos à conclusão de que o nosso método de jogo, aquele individualista, baseado nos craques que desequilibram, estava ultrapassado e que o importante passava a ser o modelo europeu, coletivo, somatório, aonde os jogadores nada mais eram do que peças de uma engrenagem comum, o time.

Na seleção
Essa era uma discussão polêmica e que dividia opiniões e logo o treinador tratou de assumir que era um ardoroso defensor da europeização dos métodos. Para ele, a seleção brasileira já não dependia mais de craques foras-de-série, mas sim de um esquema em grupo, com disciplina tática. Ele também inventou uma terminologia confusa para descrever seu novo estilo de trabalho, com palavras como o "overlapping", o "ponto futuro" (que descrevia o procedimento em que o jogador fazia a jogada com seu companheiro já se posicionando para receber a bola posteriormente) e a "polivalência" (em que cada jogador passaria a exercer mais de uma função em campo).

Terminando de classificar o Brasil nas Eliminatórias, Coutinho passou a treiná-lo em uma série de amistosos. Mas em alguns desses, como um contra a Inglaterra que terminou empatado em 1 a 1, suas teorias, tão firmemente defendidas, não se aplicavam com muito sucesso. Às vésperas da Copa, Coutinho passou a rever seus conceitos, mas era tarde. Na convocação, causou controvérsia: deixou de levar Falcão, do Internacional, considerado por muitos o melhor armador do futebol brasileiro à época, para ir com Chicão, do São Paulo, conhecido mais por sua garra e truculência, talvez pela questão da obediência tática. Na estréia da competição, o Brasil enfrentou a Suécia. O resultado foi um desanimador empate em 1 a 1. O jogo seguinte foi contra a Espanha. Um novo empate, desta vez em 0 a 0, já fazia pipocar críticas contra seu estilo e contra um certo espírito "retranqueiro" da Seleção. Um dos problemas que Coutinho enfrentava era a falta de entrosamento do time como um todo, em especial entre Zico e Reinaldo, dois craques absolutos, mas que estavam rendendo aquém do esperado no torneio. A vitória sobre a Áustria por 1 a 0 não acalmou muito os ânimos e o presidente da CBD, Almirante Heleno Nunes, acabou por intervir. Ordenou a Coutinho que trocasse a dupla por Roberto Dinamite e Jorge Mendonça e também que substituísse o zagueiro improvisado na lateral esquerda Edinho (já que Coutinho não havia aprovado Júnior na posição) por um atleta do ofício, Rodrigues Neto. As mudanças podem ter surtido algum efeito, já que o Brasil, no primeiro jogo da segunda fase, goleou o Peru por 3 a 0. Mesmo não apresentando um futebol ideal, era visível a melhora da equipe, a maior vontade e determinação. O jogo seguinte, contra a anfitriã Argentina, a futura campeã, ficou marcado pela rivalidade e tensão. Um 0 a 0 truncado e disputado, com todo o tempero dessa "batalha". A decisão sobre qual dos dois rivais sul-americanos iria à grande final ficou então para a última rodada: o Brasil enfrentaria a Polônia, enquanto a Argentina duelava com os peruanos. Os jogos, marcados para o mesmo dia, originalmente transcorreriam também no mesmo horário, mas subitamente a FIFA decidiu adiar o jogo da Argentina, para que começasse apenas após o término da peleja brasileira. A seleção então fez sua parte, vencendo sua partida por 3 a 1. Já os argentinos entraram em campo sabendo quantos gols precisariam fazer para superar seu adversário no saldo (primeiro critério de desempate). Em um jogo polêmico, marcado pela suspeita de irregularidade, o time goleou o Peru de forma surpreendente, por 6 a 0, contando com erros crassos do time adversário. Com isso, restou à Seleção disputar o terceiro lugar com a Itália, partida ganha por 2 a 1. O Brasil, embora não chegasse à final, foi o único time invicto da competição, um dos fatores que levou Cláudio Coutinho a cunhar uma frase que se tornaria célebre: "Fomos os campeões morais dessa Copa".

Volta ao Flamengo

Mesmo assim, o treinador acabou responsabilizado pela mídia e opinião pública pelo fracasso de seu selecionado e teve até sua capacidade profissional questionada. Voltou ao Flamengo e, pouco tempo depois, conseguiu "dar a volta por cima" na equipe ao ser Tricampeão Estadual em 1978-1979-1979(Especial) e Campeão Brasileiro em 1980, e, de certa forma, ao ser o "patriarca" do supertime que seria Campeão Mundial Interclubes em 81, já sob o comando de Paulo César Carpegiani, pois Coutinho, magoado com a direção do clube, havia saído da Gávea rumo ao futebol norte-americano. No rubro-negro, Coutinho obteve sucesso ao misturar seus avançados conhecimentos táticos com o talento individual abundante naquele fantástico time, conseguindo montar um dos maiores esquadrões da história do nosso futebol, um raro caso de uma equipe completa. Com isso, consagrou-se como um de nossos técnicos mais importantes.

No final da temporada de 1981, mesmo ano da consagração de boa parte de seu trabalho, estava em férias no Rio de Janeiro, antes de ingressar no futebol árabe. Exímio mergulhador, no dia 27 de novembro praticava um de seus hobbies, a pesca submarina nas Ilhas Cágarras, arquipélago próximo a Praia de Ipanema, quando morreu afogado, aos 42 anos.

Dados
Nome Completo: Cláudio Pecego de Moraes Coutinho
Local de nascimento: Dom Pedrito (RS)
Data de nascimento: 5 de Janeiro de 1939
Data de Falecimento: 27 de Novembro de 1981
Treinou o Fla em: 1976-1977 e 1978-1980
Número de Jogos: 266

Estatísticas

Flamengo
Ano
1976-1977 77 Jogos 50 Vitórias 18 Empates 9 Derrotas 72,73% de Aproveitamento
1978-1980 189 Jogos 130 Vitórias 41 Empates 18 Derrotas 76,01% de Aproveitamento
Total 266 Jogos 180 Vitórias 59 Empates 27 Derrotas 75,06% de Aproveitamento

Retirado de "http://www.flamengo.com.br/flapedia/Cl%C3%A1udio_Pecego_de_Moraes_Coutinho"

terça-feira, 20 de janeiro de 2009

Aniversário de uma conquista - Troféu São Sebastião (72)


Fonte da foto: http://www.flaestatistica.com/times2000.htm

Em 2000, o Flamengo tinha uma base mantida do ano anterior. A razão para a manutenção do elenco se deu em virtude das conquistas obtidas, das quais merecem destaque o Estadual de 1999 e a Copa Mercosul. Hoja faz 9 anos que o time conquistou o bicampeonato do Troféu São Sebastião. Esse seria apenas o primeiro. Um outro bicampeonato viria, mas isso é uma outra história.

Os campeões foram os seguintes:

C.R. Flamengo 1 x 0 Fluminense (RJ)
Troféu São Sebastião
20/01 - Estádio: Maracanã - Rio de Janeiro
Time: Clemer, Pimentel(Bruno Carvalho), Fabão, Juan, Paulo Roberto(Lúcio), Leandro Ávila, Maurinho, Lê(Jorginho), Iranildo(Leandro Machado), Rodrigo Mendes e Reinaldo.
Gol: Lúcio.
(C.R. Flamengo CAMPEÃO)

Fonte: http://www.flaestatistica.com/t2000.htm

Aniversário de uma conquista - Troféu São Sebastião (71)


Fonte da foto: http://www.flaestatistica.com/times1999.htm

Em 1999, o Flamengo iria começar a retomar os seus tempos de glórias. Hoje faz 10 anos da primeira conquista nesse importante ano para a história do clube. O time era formado por jogadores formados na base que iriam começar a se destacar, como no caso de Athirson e Rodrigo Mendes. Além deles, o famoso baixinho Romário fazia parte do ataque rubro-negro tendo como companheiro, Caio que brilharia também nessa partida e em algumas outras. Não à toa seria o "xodó da Gávea", como Obina é hoje, por exemplo. Os campeões comandados do grande mestre Carlinhos seriam os seguintes:

C.R. Flamengo 5 x 3 Fluminense (RJ)
Troféu São Sebastião
20/01 - Estádio: Maracanã - Rio de Janeiro
Time: Clemer, Pimentel, Fabão, Ronaldo, Athirson(Marco Antonio), Jorginho, Beto, Cleisson, Iranildo(Rodrigo Mendes), Caio(Marcelo Santos) e Romário(Rodrigo Fabri).
Gols: Romario(2), Caio(2) e Marcelo Santos.
( C.R. Flamengo CAMPEÃO)

Fonte: http://www.flaestatistica.com/t1999.htm

A temporada vai começar

Está chegando a hora da temporada começar. Para o Flamengo ela se inicia, no próximo domingo, dia 25 de janeiro de 2009. Eu acredito demais, nesse novo time montado por Cuca. Li a pouco, uma reportagem veiculada no jornal lance, em sua versão eletrônica, que o lateral Juan disse que as mudanças em relação ao ano passado são pequenas, mas existem, ver reportagem no link http://www.lancenet.com.br/clubes/FLAMENGO/noticias/09-01-20/471069.stm?juan-comemora-para-os-laterais-mudou-pouco.
Pra mim não é surpresa. Desde 2007, o Flamengo mantém uma base defensiva formada por Bruno, pelos laterais Léo Moura, Juan e os zagueiros Fábio Luciano e Ronaldo Angelim. Todavia, acho que a época que ela foi pior explorada foi com Caio Júnior. Os laterais eram muito expostos, a cobertura era deficiente. Agora deve ser diferente. O posicionamento dos volantes vai possibilitar, maiores variações de jogadas e também proporcionar melhor arranjo defensivo para proteger toda a competente defesa rubro-negra. Para isso, a minha aposta pelo que tenho visto, quem diria, é numa contratação pouco badalada, mas de eficiência comprovada. Trata-se do volante Willians. Ele se destacou ano passado na Série B pelo Santo André e vem também se destacando na pré-temporada que o Flamengo realizou na Granja Comary,em Teresópolis-RJ. Não bastasse, apresenta um comprometimento de atleta exemplar, raro de se ver nos jogadores de futebol, ver reportagem no link http://jsports.uol.com.br/portal/processa.php?modulo=montasecao&secao=2&materia=78134&pg=1&st=flamengo&mt=willians_neatildeo_se_importa_de_ficar_no_banco_no_carioceatildeo. Sem sombra de dúvidas, é um exemplo a ser seguido.

Aniversário de uma conquista - Estadual de 1953 (70)



Fonte das fotos: http://www.flaestatistica.com/times1954.htm
A década de 50 foi uma das mais marcantes para o Flamengo. Não por acaso, o time conquistou vários títulos estaduais, nacionais e internacionais. Hoje um deles, faz aniversário hoje - completa 54 anos - o Estadual de 1953. O Flamengo dá início a conquista desse estadual em 12 de julho de 1953, ao vencer o Madureira por 4 x 0, no Maracanã. Durante o Campeonato Carioca, o Flamengo leva uma verdadeira multidão aos seus jogos, lotando o Maracanã, que já mostrava ser a casa predileta da torcida do Flamengo, grande como o próprio estádio. O campeonato foi realizado em três turnos, e novamente devido à falta de datas, só foi encerrado em 1954. Obteve ao todo, 21 vitórias, sendo derrotado apenas 2 vezes. O time base foi Garcia, Pavão, Marinho, Servílio, Dequinha, Jordan, Joel, Rubens, Índio, Benitez e Esquerdinha. Foi em 1953 que o Flamengo perde um de seus maiores jogadores. Biguá encerra sua carreira, depois de 12 anos defendendo a camisa rubro-negra. Ao final do ano, o Flamengo inicia o terceiro turno, vencendo o Fluminense por 2 x 1 em um jogo memorável e o América por 2 x 0. Ainda faltavam 3 jogos, porém devido à falta de datas, foram jogados em janeiro de 1954. Em 03 de janeiro, o Flamengo vence o Bangu por 2 x 0. Em 10 de janeiro, derrota o Vasco por 4 x 1, com gols de Esquerdinha, Índio e dois de Benitez, assegurando o título de Campeão Carioca com uma rodada de antecedência. Em 20 de janeiro, o Flamengo derrota o Botafogo por 1 x 0, com gol de Rubens e ratifica o título de campeão carioca de 1953. Benitez é o artilheiro do campeonato com 22 gols.

C.R. Flamengo 1 x 0 Botafogo (RJ)
Campeonato Carioca 1953 - 3º Turno
20/01 - Estádio: Maracanã - Rio de Janeiro
Time: Garcia, Marinho, Pavão, Servílio, Dequinha, Jordan, Joel, Rubens, Índio, Benitez e Esquerdinha.
Gol: Rubens.
( C.R. Flamengo Campeão Carioca de 1953 )

Fonte: http://www.flaestatistica.com/t1954.htm
http://flapedia.forsystem.info/1953

Depois de um longo jejum (nove anos), o Flamengo voltou a conquistar um título. Desta vez, o comandante foi o paraguaio Fleitas Solich, que substituiu Flávio Costa. Solich teve um início complicado, com derrotas para Fluminense e Botafogo. Mas, aos poucos, o técnico ajustou a equipe, que, comandada por Rubens, Dequinha e Pavão, faturou o título com uma rodada de antecedência ao abrir cinco pontos sobre o Fluminense.
Time-base: Garcia, Marinho e Pavão; Servílio, Dequinha e Jordan; Joel, Rubens, Índio, Benítez e Esquerdinha. Técnico: Fleitas Solich
Campanha: 27 jogos, 21 vitórias, 4 empates e 2 derrotas. 77 gols pró, 27 contra, 50 de saldo.
Artilheiro: Benítez (22 gols).

Fonte: http://www.lancenet.com.br/hotsite/flamengo2008/30titulos.stm

segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

Rocha - volante campeão de um time inesquecível


Rocha
Flaestatística


Marcelo de Paula Rocha
De Flapédia

Biografia

O meio campista Marcelo de Paula Rocha ficou conhecido no Flamengo como Rocha. Ele fez parte do meio-de-campo que conquistou o tricampeonato carioca e a Copa dos Campeões, no ano de 2001, jogando ao lado de Leandro Ávila, Beto e Petkovic.

Trajando a camisa 8 rubro-negra, Rocha fez mais de 150 partidas, nos anos de 1999 a 2002. Após deixar o Fla, passou por outros clubes mais modestos e teve também pequenas experiências internacionais, porém, nada de tanto destaque como na equipe da Gávea, onde conquistou oito títulos.

Dados
Nome Completo: Marcelo de Paula Rocha
Dia do Nascimento: 19 de Janeiro de 1979
Nascimento: Piraju (SP)
Posição: Volante
Número de Jogos: 155
Número de Gols: 4


Histórico
Anos Time
1999-2002 Flamengo
2006 Resende RJ
2008 Santa Cruz SP
2008 Platinense PR
2009 Atlético Tubarão

Títulos
Pelo Flamengo
Taça Guanabara: 1999 e 2000
Taça Rio: 2001
Campeonato Carioca: 1999, 2000, 2001
Copa Mercosul: 1999
Copa dos Campeões: 2001

Por Outros Clubes
Internacional
Campeonato Gaúcho: 2005 e 2006

Retirado de "http://www.flamengo.com.br/flapedia/Marcelo_de_Paula_Rocha"

Veja a ficha de Rocha no link abaixo

http://www.flaestatistica.com/rocha.htm

Aniversário de uma conquista - Troféu Ponto Frio (69)



Uma grande multidão compareceu ao Aeroporto Galeão, no Rio de Janeiro, para receber o Honved na manhã de 14 de janeiro de 1957. Todos queriam ver de perto os craques do time que formara a base da seleção húngara vice-campeã mundial em 1954, que no Brasil só se conhecia de fotografia. Cinco dias depois, 113.629 torcedores pagariam ingresso no Maracanã para ver o Honved de Grocsis, Rackoszy, e Banay; Boszik, Kotasz e Lantos; Budai, Kocsis, Szusza, Czibor e Puskas. Foi o acontecimento do ano no futebol brasileiro. O presidente da República, Juscelino Kubitschek esteve lá e vibrou com a vitória histórica do Flamengo por 6 a 4.

TROFÉU PONTO FRIO 1957

O JOGO DO TÍTULO :

C.R. Flamengo 6 x 4 Honved (Hungria)
Troféu Ponto Frio
19/01/1957 - Estádio: Maracanã - Rio de Janeiro
Time: Ari, Tomires, Pavão, Milton Copolilo, Luís Roberto, Edson, Paulinho, Moacir(Duca), Henrique(Dida), Evaristo e Babá.
Gols: Moacir, Henrique, Evaristo(2), Paulinho e Dida.

Fonte: http://www.flaestatistica.com/trofeupontofrio.htm
Almanaque do Flamengo de Roberto Assaf e Clóvis Martins, página 164, Editora Abril S/A 2001

Fio Maravilha - atacante folclórico


Foto: Fio Maravilha e Jorge Benjor - Clube do Balanço

Fio Maravilha

Biografia

Levado por seu irmão Germano (ex-ponta-esquerda do Flamengo, AC Milan e SE Palmeiras) ao Flamengo, João Batista começou a carreira no clube da Gávea, aos 15 anos. O jogador não era um craque, tinha um futebol "folclórico" e "desengonçado", mas era muito querido pela torcida flamenguista. Ganhou o apelido de "Fio Maravilha", após marcar o gol da vitória (3 a 2) de uma partida da equipe carioca contra o Benfica, de Portugal.

No início dos anos 80, Fio mudou-se para os Estados Unidos, onde foi atuar no New York Eagles. Defendeu a equipe durante uma temporada (quatro meses) e depois recebeu um convite para defender um time semiprofissional de Los Angeles, o Monte Belo Panthers. Foi naquela época que Fio conheceu San Francisco. Gostou tanto da cidade que resolveu ficar por lá, mesmo que tivesse que abandonar a carreira. Foi o que fez, tornando-se entregador de pizzas. E Logo se tornando técnico e treinador de equipes de futebol infanto-juvenis.

Pelo Flamengo, João Batista marcou 44 gols em 167 partidas. Seu último clube foi o San Francisco Mercury. Fio jogou também por Paysandu-PA, Ceub-DF, Desportiva-ES e São Cristóvão-RJ.

Fio Maravilha é também o nome de uma canção do compositor brasileiro Jorge Ben. A canção foi lançada no álbum Ben, de 1972, e se tornou um grande sucesso. Seu refrão "Fio Maravilha, nós gostamos de você" era cantado pela torcida flamenguista nas partidas no estádio do Maracanã. Mas anos depois, o compositor teve de mudar a letra para "Filho Maravilha", depois de uma briga na Justiça sobre direitos autorais. Mas, no ano de 2007, o ex-jogador disse em uma entrevista em rede nacional que o processo dele contra Jorge Ben foi um mal entendido e ele autoriza o cantor a voltar a cantar a música da forma original, utilizando o nome dele (Fio Maravilha).

Até de treinadores como Zagallo, que o preteriram nos tempos de Flamengo, não guarda mágoa. Reserva elogios principalmente ao técnico Yustrich – já falecido – que compreendeu a necessidade de dosagem nos treinamentos, para que evitasse lesões musculares. Hoje, a beira dos 59 anos, Fio Maravilha nem pensa em voltar ao Brasil, receoso da violência desenfreada. Esse mineiro de Conselheiro Pena trabalha até hoje como entregador de pizza nos Estados Unidos.

Dados
Nome Completo: João Batista Sales
Dia do Nascimento: 19 de Janeiro de 1945
Nascimento: Conselheiro Pena (MG)
Posição: Atacante
Número de Partidas pelo Fla: 288
Número de Gols: 79

Histórico
Anos Time
1965-1973 Flamengo
1973-1975 Paysandu
1975-1976 Ceub-DF
1977-1978 Desportiva-ES
1979-1980 São Cristóvão
1981 New York Eagles
1981-1983 Monte Belo Panthers
1983-1985 San Francisco Mercury

Títulos
Flamengo
Taça Guanabara: 1970, 1972 e 1973
Campeonato Carioca: 1965
Estatísticas
Ano Jogos Gols Marcados
1965 9 2
1966 31 10
1967 28 13
1968 45 10
1969 29 3
1970 59 21
1971 54 12
1972 30 8
1973 3 0
Total 288 79

Retirado de "http://www.flamengo.com.br/flapedia/Fio_Maravilha"

domingo, 18 de janeiro de 2009

Aniversário de uma conquista - Troféu Agência Hudson (68)

Continuando a excursão em Recife (PE) em 1926, o Flamengo, conquistaria o seu segundo troféu em solo pernambucano. A vítima desta vez foi o time mais tradicional do estado, o Sport Clube de Recife.

Sport PE 3 X 3 Flamengo RJ

Data: 18/1/1925 - Domingo
Estádio: Não Definido

Time: Ismael, Pennaforte, Telefone, Moura, Seabra, Hermínio, Nilton, Vadinho, Antoninho, Junqueira e Moderato.
Treinador: José Seabra
Gols: Antoninho (2) e Vadinho

Fonte: http://www.conteudoesportivo.com.br/html/futebol/camp/fut_sumula.asp?codcampeonato=3400&numjogo=1

sábado, 17 de janeiro de 2009

Zé Roberto realiza um sonho que foi vetado na adolescência


Eduardo Peixoto/GLOBOESPORTE.COM
Zé Roberto beija o escudo do Flamengo

Jogador participou de peneira no Flamengo em 1995, mas não foi aprovado

Eduardo Peixoto
Direto de Teresópolis, RJ
Tamanho da letra

Jogador de futebol dizer que realiza um sonho de infância quando se apresenta ao novo clube é praticamente um clichê. Mas Zé Roberto pode provar sua afirmação. Em 1995, o adolescente de Itumbiara-GO chegou ao Rio de Janeiro para participar de uma peneira no Flamengo. Não foi aprovado e teve de iniciar a carreira em outro lugar.

- Jogar aqui é um sonho de criança. Tanto que fiz testes no Flamengo com 14 anos. Um grande flamenguista da minha cidade me trouxe. Fiz a peneira, com bastante gente, e nem tive tempo de mostrar nada. Não fiquei frustrado. Consegui meu objetivo de ser jogador e hoje estou aqui realizando meu desejo.

O sonho de disputar a próxima Copa do Mundo transita paralelamente ao desejo de marcar o nome na história do Flamengo e prorrogar o contrato por um ano de empréstimo.

Vamos disputar um tricampeonato que é muito importante. O clube não mediu esforços para me ter aqui e quero corresponder com títulos.

Fonte: http://globoesporte.globo.com/Esportes/Noticias/Futebol/Copa_do_Brasil/0,,MUL959751-9830,00-ZE+ROBERTO+REALIZA+UM+SONHO+QUE+FOI+VETADO+NA+ADOLESCENCIA.html

sexta-feira, 16 de janeiro de 2009

Athirson - mais um craque na lateral esquerda


Athirson Mazzoli e Oliveira
De Flapédia

Biografia

Revelado nas divisões de base do Fla, Athirson começou a jogar como profissional em 1996. Extremamente habilidoso, o jogador cativou a torcida rubro-negra e, rapidamente, consolidou-se como o lateral-esquerdo titular do time, deixando Gilberto no banco.

Mostrando seu talento, foi guiado aos profissionais por Joel Santana, e mostrou seu talento em uma grande exibição diante do arqui-rival Vasco, em agosto de 1996. O "Jornal dos Sports", em abril de 1997, dizia que ele era o Roberto Carlos do Flamengo, lembrando Júnior de outras épocas, e o jornal "O Dia" o chamava de maior revelação e promessa do clube nos últimos anos.

No início de 1998, no entanto, foi emprestado ao Santos, mas não atuou bem na Vila, e logo no ano seguinte, tornou a vestir a camisa do Flamengo, clube que defendeu até 2001, quando foi para a Itália.

Voltou à Gávea em 2003, e em 2004, regressou ao Juventus, da Itália. De lá, foi para o CSKA, e de novo para o Flamengo, onde ficou até o fim de 2004, quando foi para o Cruzeiro.

Em 2005, foi negociado com o Bayer Leverkusen, da Alemanha. Não conseguiu se destacar no time alemão e ficou sem jogar por um bom tempo, até que em junho de 2007, apesar da desconfiança geral, o jogador foi repatriado pelo Botafogo.

Mas como não se apresentava nas melhores condições físicas, acabou sendo pouco usado. Com isso pediu rescisão de contrato e foi para o Brasiliense. Em Setembro de 2008 voltou para a primeira divisão para jogar na Portuguesa. Vestindo a camisa do clube paulista Athirson se destacou, mas não pode evitar que a equipe fosse rebaixada para disputar a Série B do Campeonato Brasileiro em 2009.


Dados
Nome Completo: Athirson Mazolli e Oliveira
Dia do Nascimento: 16 de Janeiro de 1977
Nascimento: Rio de Janeiro
Posição: Lateral-Esquerdo
Número de Partidas pelo Fla: 252
Número de Gols: 37


Histórico
Anos Time
1996-1998 Flamengo
1998 Santos
1999-2000 Flamengo
2001 Juventus
2002-2003 Flamengo
2003-2004 Juventus
2004 CSKA Moscou
2004 Flamengo
2005 Cruzeiro
2005-2007 Bayer Leverkusen
2007 Botafogo
2008 Brasiliense
2008-2009 Portuguesa

Títulos
Pelo Flamengo
Campeonato Carioca: 1999, 2000
Taça Guanabara: 1999, 2004
Taça Rio: 2000
Copa Ouro Sul-Americana: 1996
Copa dos Clubes Brasileiros Campeões Mundiais: 1997
Copa Mercosul: 1999

Por Outros Clubes
Santos

Copa Conmebol: 1998

Seleção Brasileira

Torneio Pré-Olímpico: 2000

Jogos Olímpicos
Fez parte do elenco que disputou as Olimpíadas de Sidney do ano 2000.

Estatísticas

Ano Jogos Gols Marcados
1996 20 1
1997 41 2
1998 9 0
1999 56 4
2000 32 12
2002 43 9
2003 27 6
2004 24 3
Total 252 37

Retirado de "http://www.flamengo.com.br/flapedia/Athirson_Mazzoli_e_Oliveira"

Aniversário de uma conquista - Troféu Torre Sport Club (67)

O começo de 1925 parecia ser promissor para o Flamengo. No dia 10 de janeiro, 16 jogadores deixaram o Rio de Janeiro a bordo do paquete Andes para disputar cinco partidas no Recife. Essas viagens eram tão raras que o chefe da delegação, João Borges de Sampaio, o treinador e jogador, e o jornalista convidado José Leite de Castro foram ao Palácio do Catete para se despedir do Presidente do Brasil, Artur Bernardes.
Cinco dias depois o Flamengo chegava na capital pernambucana. No dia 16 de janeiro, o time estreou vencendo o Torre de Pernambuco, de virada. A equipe rubro-negra era muito boa. Contava com jogadores talentosos e que fizeram história no clube, como no caso dos atacantes Junqueira e Moderato.

A ficha com a escalação do Flamengo foi a seguinte:

Torre-PE 1 X 3 Flamengo-RJ

Data: 16/1/1925 - Sexta-feira
Estádio: Não Definido
Time: Ismael, Pennaforte, Telefone, Hermínio, Seabra, Elmir, Nilton, Vadinho, Benevenuto, Junqueira e Moderato

T:José Seabra

Gols: Junqueira (2) e Moderato

Fonte: http://www.conteudoesportivo.com.br/html/futebol/camp/fut_sumula.asp?codcampeonato=3399&numjogo=1
Almanaque do Flamengo de Roberto Assaf e Clóvis Martins, página 47, Editora Abril S/A, 2001.

quinta-feira, 15 de janeiro de 2009

Obina? Angelim é o goleador rubro-negro em primeiro treino de finalização

Em meio aos atacantes, zagueiro brilha e vai guardar o vídeo com o golaço

Eduardo Peixoto
Direto de Teresópolis
Tamanho da letra
A- A+


“Muito bom, papada!”, gritou Ibson. A exclamação elogiando Ronaldo Angelim seria normal em um desarme defensivo. Mas no treino de finalização na tarde desta quinta-feira, na Granja Comary, o zagueiro roubou a cena.

Seja de perna direita ou de esquerda, o jogador acertou os ângulos e derrubou os goleiros. A precisão foi tanta que Marcelinho Paraíba chegou a reclamar com o técnico Cuca.

- Ele está demorando muito para chutar – chiou.

No lance seguinte, veio a resposta. Angelim dominou, se ajeitou e finalizou forte de direita. Paulo Victor saltou, mas não alcançou. Papada, então, virou-se para Marcelinho e provocou.

Assim que o treino terminou, a empolgação ficou no passado e o zagueiro classificou como sorte o dia de artilheiro.

- Não é normal. Eu estava inspirado. Se filmaram, então vou guardar e mostrar para os parceiros – disse Ronaldo Angelim.

Fonte: http://globoesporte.globo.com/Esportes/Noticias/Times/Flamengo/0,,MUL957663-9865,00.html

quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

"Era o que faltava na minha carreira"

Em entrevista ao JS, Zé Roberto revela ser rubro-negro desde criança

Vinicius Castro

Zé Roberto está realizado por se transferir para o Flamengo

Rio de Janeiro - Ainda em Salvador, onde passou as férias e manteve a forma física sob a supervisão do personal trainer, Carlinhos Espinheira, o grande reforço do Flamengo para 2009, Zé Roberto, conversou por telefone com a reportagem do JORNAL DOS SPORTS e revelou ser torcedor rubro-negro desde a infância. O jogador ainda afirmou estar muito feliz com a transferência para o clube da Gávea e vê o negócio como a grande oportunidade que faltava na sua carreira. Zé Roberto confirmou que vai se apresentar na próxima sexta-feira na Granja Comary e acredita que fará sua estreia pelo Flamengo, no dia 28 de janeiro, quando a equipe enfrenta o Bangu, pela segunda rodada da Taça Guanabara.

Confira o descontraído bate-papo do JS com Zé Roberto:

Transferência para o Flamengo:

- Como rubro-negro que sou, desde moleque, era a grande oportunidade que faltava na minha carreira. Jogar no clube do meu coração é uma coisa que me deixa orgulhoso e muito feliz. Aqui em Salvador, ando nas ruas e as pessoas me param para elogiar e desejar sorte no meu novo clube. Muitas coisas estão passando na minha cabeça e não vejo a hora de vestir logo essa camisa. É uma responsabilidade enorme, mas sei que vou ter muito sucesso no Flamengo.

Demora na negociação:

- Isso faz parte do futebol e os contratos precisam ficar muito claros. Foi tudo muito bem resolvido pelo Flamengo e pela diretoria do Schalke 04. O Santos ainda tentou entrar na parada, mas só não jogaria no Flamengo se o próprio Flamengo não me quisesse. Devo chegar amanhã (quinta-feira) ao Rio de Janeiro e me apresentar oficialmente na Granja Comary, na sexta-feira. Quero começar a trabalhar logo com os meus novos companheiros e respirar o quanto antes o clima de Flamengo.

Condição física e previsão para a estreia:

- Não vou ter problema quanto à parte física. Estou no peso e fiquei mantendo a forma aqui em Salvador. O problema maior vai ser o ritmo de jogo e o entrosamento com os companheiros. Acredito que na segunda partida do campeonato já esteja pronto, mas não descarto a possibilidade de já ficar à disposição para a estreia da Taça Guanabara.

Recado para a Nação Rubro-Negra:

- Posso garantir a torcida, que o Flamengo contratou um atleta que está disposto a ajudar e que vai ter muita dedicação por essa camisa. Vou jogar com muita vontade e amor a esse clube.

Fonte: http://jsports.uol.com.br/portal/processa.php?modulo=montasecao&secao=2&materia=77842&pg=1&st=flamengo&mt=equotera_o_que_faltava_na_minha_carreiraequot

terça-feira, 13 de janeiro de 2009

Gilmar - 50 anos de um grande goleiro


Gilmar, com os jogadores Adriano e Ronaldo - Gilmar Sports

Gilmar Luís Rinaldi
De Flapédia

Biografia

Revelado no Internacional de Porto Alegre, o goleiro Gilmar Rinaldi fez história não só no clube gaúcho como também no São Paulo e no Flamengo.

No Inter, fez parte do elenco que conquistou o tetra-campeonato gaúcho de 1981 a 1984. No ano seguinte, o goleiro foi negociado com o Tricolor do Morumbi, onde rapidamente tornou-se titular. Naquele mesmo ano, ganhou o Campeonato Paulista e, em 1986, em uma final nos pênaltis contra o Guarani, conquistou seu primeiro Campeonato Brasileiro. De 1987 a 1990, Gilmar continuou a colecionar títulos pelo São Paulo, porém, sua condição de titular havia sido perdida para o goleiro chileno Rojas, e depois para Zetti.

Então, já com 32 anos de idade, Gilmar despertou interesse do Flamengo, e de olho na oportunidade de voltar a jogar como titular, aceitou, e em ótima fase, foi um dos destaques da equipe rubro-negra campeã brasileira de 1992. As boas atuações fizeram com que o jogador chegasse à Seleção, para a disputa da Copa do Mundo de 1994. Após a conquista to tetra-campeonato mundial nos EUA, Gilmar deixou o Fla e foi encerrar sua carreira no Cerezo Osaka, do Japão.

Hoje, o ex-goleiro é empresário, e dono da Gilmar Sports, que representa, entre outros jogadores, o atacante Adriano, atualmente na Inter de Milão e revelado nas categorias de base do Flamengo.

Dados
Nome Completo: Gilmar Luís Rinaldi
Dia do Nascimento: 13 de Janeiro de 1959
Cidade: Erechim (RS)
Posição: Goleiro
Número de Jogos: 239
Número de Gols: 0

Histórico
Anos Time
1978-1984 Internacional
1984-1990 São Paulo
1992-1994 Flamengo
1994 Cerezo Osaka

Títulos
Pelo Flamengo
Campeonato Carioca: 1991
Taça Rio: 1991
Campeonato Brasileiro: 1992

Por Outros Clubes
Internacional

Campeonato Gaúcho: 1981, 1982, 1983, 1984

São Paulo

Campeonato Paulista: 1985, 1987, 1989
Campeonato Brasileiro: 1986
Torneio da Amizade: 1990

Seleção Brasileira

Copa do Mundo: 1994

Retirado de "http://www.flamengo.com.br/flapedia/Gilmar_Lu%C3%ADs_Rinaldi"

A minha opinião

A minha opinião, em relação a matéria anterior, é um pouco diferente. Acredito que o Flamengo tem a vantagem de ter mantido a base, mas não deve ser considerado como favorito por isso. Considero, Vasco, Fluminense e Botafogo com semelhantes possibilidades de conquista. Acho apenas que dos três times citados, o maior adversário do time deve ser novamente o Botafogo. A razão para isso, se baseia no fato do seu treinador Ney Franco, conhecer bem o Flamengo. Inclusive, na sua passagem em 2006 e 2007, trabalhou com os bons laterais Léo Moura e Juan. Isso pode fazer diferença. Não bastasse, a provável dupla de ataque do Botafogo Reinaldo e Victor Simões foi formada no rubro-negro. Eles jogaram juntos nas divisões de base. A incógnita fica quanto aos times de menor tradição. Pode ser um diferencial, sim. Eu estou achando que a final do carioca vai ser repetida pela terceira vez seguida, espero que o resultado seja o mesmo. È esperar pra ver.

Flamengo larga na frente na briga pelo título carioca


Alexandre Cassiano/O Globo
Rubro-negro manteve a base e é visto como o favorito para o tricampeonato

GLOBOESPORTE.COM
Rio de Janeiro
Tamanho da letra

A- A+ O Flamengo foi o clube que menos se reforçou para a disputa do Campeonato Carioca. Mas nem por isso deixa de entrar na competição como o favorito ao título. É a opinião dos especialistas ouvidos pelo GLOBOESPORTE.COM. Tudo porque o clube conseguiu manter a base da última temporada, em que ficou em quinto lugar no Campeonato Brasileiro.

O Rubro-negro, que luta pelo tricampeonato, trouxe o zagueiro Douglas e o meia Willians, ambos do Santo André, o lateral-direito Everton, que estava no Friburguense, e acertou em cima da hora com o meia Zé Roberto, ex-Botafogo e que estava no Schalke 04, da Alemanha. Além deles, o zagueiro Fabrício, que estava no Paraná, e o atacante Kayke, que jogou no Brasiliense, retornam ao Flamengo após o fim dos empréstimos.

O técnico Cuca volta ao clube para substituir Caio Júnior, dispensado pela diretoria após a queda de rendimento na reta final do Campeonato Brasileiro. O Flamengo perdeu poucos jogadores. O atacante Diego Tardelli foi para o Atlético-MG, o volante Jaílton acertou com o Fluminense, o zagueiro Dininho se transferiu para o Santo André e o lateral-direito Luizinho parou no Santos.

Cuca não terá problemas para entrosar o time. A base está junta há algum tempo. Principalmente o setor defensivo formado por Bruno, Leo Moura, Ronaldo Angelim, Fabio Luciano e Juan.

- Quem se reforçou melhor foi o Fluminense. Mas o fato de o Flamengo permanecer com o mesmo conjunto o coloca em uma situação ligeiramente melhor. Leva tempo para entrosar a equipe. O Fluminense mesmo serve como exemplo nos últimos dois anos. Contratou bastante e demorou para o time se acertar. Para conseguir entrosar um time é preciso de tempo - disse o comentarista do SporTV, André Loffredo.

O entrosamento deve ser um ponto a favor principalmente no início do Campeonato Carioca. Por isso, sai na frente na disputa da Taça Guanabara, que vale vaga na final.

- O Flamengo deve levar vantagem por estar mais entrosado. Até os rivais se arrumarem vai levar um tempo e a tendência é que o Flamengo ganhe a Taça Guanabara. Vasco, Fluminense e Botafogo praticamente montaram novos times. Mas falta ao Flamengo um artilheiro - disse Álvaro Oliveira Filho, comentarista da rádio CBN e gerente nacional de esportes do Sistema Globo de Rádio, que considera o setor defensivo do Rubro-negro muito forte.

- O Flamengo tem dois laterais (Leonardo Moura e Juan) que são difíceis de encontrar em outro clube brasileiro. Tem um goleiro (Bruno) que é um dos melhores do Brasil. E dois zagueiros bons também - completou.

Fluminense é visto como o maior rival na briga pelo título

Lédio Carmona, comentarista do SporTV, também considera que o Flamengo larga na frente. Mas acha que a diferença pode ser recuperada pelos rivais cariocas. Principalmente se o favoritismo contagiar o elenco rubro-negro.

- Como os outros três clubes se remontaram, o Flamengo tem uma vantagem no início. Não sei se vai ser para todo o Carioca. Mas para a Taça Guanabara é uma vantagem. Resta saber como o clube vai lidar com os problemas. Pode acontecer uma acomodação, por exemplo. Os jogadores podem se achar donos absolutos das posições, não se esforçarem como devem. O Fluminense vem um time bom de novo. Mas o Conca não é um Thiago Neves. Mas tem chance de ficar próximo ao Flamengo. Já o Botafogo é um time competitivo, mas não é tão bom como pensa o Ney Franco. E o Vasco é uma verdadeira incógnita. Ninguém sabe ao certo como o time vai se comportar - disse.

A contratação de Zé Roberto, que só disputou três partidas pelo Schalke 04 no Campeonato Alemão, gera desconfiança no comentarista do SporTV, Paulo Cesar Vasconcellos.

- Se for o Zé Roberto de tempos atrás do Botafogo é uma ótima contratação. Se for o que saiu aqui do Brasil para ir para a Europa será no mínimo trabalhosa. Agora qual Zé Roberto vai chegar só depende dele. O que chegou ao Botafogo era ótimo. O que saiu era desinteressado e faltava treino - disse PC Vasconcellos.

No total, 31 jogadores participam da pré-temporada na Granja Comary, em Teresópolis. A maior carência do elenco segue sendo no ataque. E o Flamengo perdeu Diego Tardelli, que foi para o Atlético-MG. O clube mineiro aceitou pagar o que o Rubro-negro devia ao São Paulo na transferência do jogador em 2008.

- Faltou ao Flamengo buscar um atacante. Foi onde o time teve dificuldades no ano passado. O Caio Júnior não encontrou esse jogador no elenco na reta final do Brasileiro. Mas a política muitas vezes corresponde a realidade financeira do clube. Eu também não vi nenhum esforço para procurar esse nome - disse Loffredo.

Fonte: http://globoesporte.globo.com/Esportes/Noticias/Times/Flamengo/0,,MUL948743-9865,00-TIME+A+TIME+FLAMENGO+LARGA+NA+FRENTE+NA+BRIGA+PELO+TITULO+CARIOCA.html

segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

Fabinho - Curinga Campeão


Fabinho

Fabio da Silva Azevedo
De Flapédia

Biografia

Fabinho, então com 22 anos, foi uma das peças importantes para o Flamengo conquistar o Campeonato Brasileiro de 1992. Sendo mais um dos nomes daquele time que foram revelados na Gávea, o volante se destacou muito no rubro-negro, onde jogava desde 1990.

Suas boas atuações lhe renderam seis anos de Flamengo, de 1990 a 1995. Neste período, ele foi campeão da Copa do Brasil e do Campeonato Brasileiro, além de ter conquistado também a Taça Guanabara, a Taça Rio e o Campeonato Carioca.

Depois, prosseguiu sua saga de títulos, mas, em Minas Gerais. O jogador foi negociado com o Cruzeiro, onde atuou em 1996 e 1997. Conquistou mais uma Copa do Brasil, além de uma Libertadores e dois Campeonatos Estaduais.

Dados
Nome Completo: Fabio da Silva Azevedo
Dia do Nascimento: 12 de janeiro de 1970
Nascimento: Rio de Janeiro (RJ)
Posição: Volante
Número de Partidas pelo Fla: 253
Número de Gols: 9

Histórico
Anos Time
1990-1995 Flamengo
1996-1997 Cruzeiro

Títulos
Pelo Flamengo
Campeonato Carioca: 1991
Taça Rio: 1991
Copa do Brasil: 1990
Campeonato Brasileiro: 1992
Taça Guanabara: 1995

Por Outros Clubes
Cruzeiro

Taça Libertadores da América: 1997
Copa do Brasil: 1996
Campeonato Mineiro: 1996 e 1997

Fonte: FlaEstatísticas

Retirado de "http://www.flamengo.com.br/flapedia/Fabio_da_Silva_Azevedo"

LEMBRO DEMAIS, COMO SE FOSSE HOJE A FUNÇÃO TÁTICA, SEMPRE IMPORTANTE E COM QUALIDADE, TANTO NO PASSE, QUANTO NA MARCAÇÃO DE FABINHO NO FLAMENGO. APESAR DE SER VOLANTE DE ORIGEM, ATUOU IMPROVISADO DE LATERAL DIREITO E ESQUERDO, SEMPRE DE FORMA REGULAR E, PRINCIPALMENTE, COM AMOR AO CLUBE.

Aniversário de uma conquista - Taça João Vianna Seilir (66)

O ano de 1936 marcaria uma nova era no Flamengo. A década de 30 pode ser considerada aquela de maior escassez de títulos da história do clube. Um exemplo disso foi a conquista de apenas um estadual, o de 1939. Apesar disso, a presença de craques jamais deixou de existir no time mais querido do Brasil. O presidente na época, José Bastos Padilha, foi quem introduziu negros no Flamengo, ao contratar dois grandes jogadores: Domingos da Guia e Leônidas da Guia. Todavia, os frutos dessa valorosa "colheita" só dariam resultados na década seguinte.
A escalação do Flamengo contava com três jogadores de destaque para a história do clube: o goleiro Yustrich, e os atacantes e grandes goleadores Nelson e Jarbas.

C.R. Flamengo 7 x 2 Coritiba (PR)
Taça João Vianna Seilir
12/01 - Estádio: ? - Curitiba - PR
Time: Yustrich, Carlos Alves, Badu, Zezé, Oto, Barbosa, Reinaldo, Caldeira, Alfredo, Nelson e Jarbas.
Gols: Nelson(2), Jarbas(2), Caldeira(2) e Alfredo.
(C.R. Flamengo campeão)

Fonte: http://www.flaestatistica.com/t1936.htm
www.conteudoesportivo.com.br

sábado, 10 de janeiro de 2009

Alessandro - Lateral e Volante eficiente


Alessandro Mori Nunes
De Flapédia


Biografia

O lateral direiro, que atua também como volante, foi revelado pelas categorias de base do Flamengo, e conquistou o Tricampeonato Carioca em 1999/2000/2001 e a Copa do Campeões em 2001.

Ficou até 2003 quando se transferiu para o Palmeiras antes de ser negociado com o Dínamo de Kiev.

Na Ucrânia, venceu dois campeonatos (Ucraniano e Copa da Ucrânia) e teve a oportunidade de disputar a Liga dos Campeões da Europa, umas das principais competições de clubes do mundo.

Retornou ao futebol brasileiro emprestado para atuar no Cruzeiro e no Grêmio. No clube gaúcho, foi peça importante da equipe que terminou o último Campeonato Brasileiro na terceira colocação onde marcou três gols em 18 jogos.

Em 2007 foi contratado pelo Santos onde ficou até o final do ano.

Foi contratado pelo Corinthians para a temporada de 2008 com contrato até final de 2009.

Dados
Nome Completo: Alessandro Mori Nunes
Dia do Nascimento: 10 de janeiro de 1979
Nascimento: Assis Chateaubriand (PR)
Posição: Lateral-direito
1º partida pelo Fla: 09/11/1997 (Flamengo 0 x 0 União São João)

Histórico
Anos Time
1997-2003 Flamengo
2003 Palmeiras
2004 Dinamo de Kiev UCR
2004 Cruzeiro
2005-2006 Grêmio
2007 Santos
2008 Corinthians

Títulos
Pelo Flamengo
Campeonato Carioca: 1999, 2000, 2001
Copa dos Campeões: 2001

Por Outros Clubes

Dinamo:

Campeonato Ucraniano: 2005
Copa Ucraniana: 2005

Grêmio:

Campeonato Brasileiro (2ª divisão): 2005
Campeonato Gaúcho: 2006

Santos:

Campeonato Paulista: 2007

Corinthians:
Campeonato Brasileiro (2° divisão): 2008

Estatísticas
Ano Jogos Gols Marcados Média Cartão Amarelo Cartão Vermelho
1997 2 0 ? ? ?
1998 9 3 ? ? ?
2000 17 0 ? ? ?
2001 60 3 ? ? ?
2002 38 2 ? ? ?
2003 16 1 ? ? ?
Total 142 9 0 0 0

Retirado de "http://www.flamengo.com.br/flapedia/Alessandro_Mori_Nunes"

sexta-feira, 9 de janeiro de 2009

Sávio - Ídolo da década de 90


Sávio - GloboEsporte.com

Sávio Bortolini Pimentel
De Flapédia

Biografia

Revelado nas divisões de base do Flamengo, Sávio começou sua carreira profissional em 1992, quando tinha apenas 18 anos de idade. O jovem e habilidoso atacante, com seus dribles pela ponta esquerda, logo encantou aos torcedores e à mídia esportiva, que passaram a elegê-lo como o futuro novo Zico. Durante o pré-olímpico para as Olimpíadas de 1996, Sávio foi destaque na Seleção Brasileira Sub-23, deixando inclusive Ronaldo Fenômeno no banco de reservas.

Em 1995, ano do centenário do Flamengo, formou o ataque dos sonhos ao lado de Romário e Edmundo. No entanto, a vaidade impediu que ocorresse o devido entrosamento entre as estrelas do Flamengo e, com isso, o suposto ataque dos sonhos acabou virando um pesadelo. Logo de cara, com a chegada do Baixinho à Gávea, Sávio viu-se envolvido em uma situação constrangedora ao ter que ceder, contrariado, sua camisa 11 a Romário.

Entretanto, apesar da evidente preferência por parte da diretoria, Romário não parecia contente em ter que dividir seu brilho com o companheiro. Por vezes, o Baixinho procurou ofuscar Sávio em campo, chegando inclusive ao cúmulo de intimidá-lo fisicamente durante uma partida. Então, em 1997, a diretoria rubro-negra optou por dar a vitória decisiva à Romário, vendendo Sávio para o Real Madrid, onde Sávio jogou de 1998 a 2002 e participou das conquistas de muitos títulos, incluindo um Campeonato Espanhol, três títulos da Liga dos Campeões da UEFA e um Mundial Interclubes, sobre o Vasco. Dispensado do Real em 2002, Sávio defendeu o Bordeaux na temporada 2002/2003. Tornou a ter boas atuações, mas não conseguiu ganhar títulos.

Em 2003, voltou ao futebol espanhol, vestindo a camisa do Zaragoza, onde recuperou sua melhor forma física e ganhou a simpatia da torcida, por causa de seus ótimos ataques pela ponta esquerda. Ovacionado e, posteriormente, colocado no hall dos ídolos do clube, Sávio transmitiu a seus companheiros de Zaragoza o espírito brasileiro de sempre acreditar na vitória, o que rendeu títulos muito especiais àquele clube.

Em 2006, o craque voltou ao Flamengo, clube que o revelou e que Sávio admite ser seu clube de coração. Nesta nova passagem, no entanto, o atacante não repetiu o sucesso. Disputou apenas 10 partidas e não marcou nenhum gol, e logo se transferiu novamente para a Espanha. Foi reforçar o elenco do Real Sociedad, que acabou rebaixado para a segunda divisão espanhola. Com isso, em julho de 2007, Sávio teve de acertar sua transferência para o Levante, a fim de continuar disputando a primeira divisão da Espanha.

No ano de 2008, dispensado pelo Levante, Sávio se engajou em um projeto que daria projeção ao futebol do estado do Espírito Santo, atuando pela Desportiva Capixaba, clube onde começou a jogar futebol, Sávio marcou 6 gols no campeonato estadual. Ao fim do Capixabão, o atleta foi convidado pelo clube cipriota Anorthosis a assinar um contrato de um ano com o propósito de disputar a Liga dos Campeões e acabou surpreendendo ao firmar um compromisso de cifras bastante generosas.

Dados
Nome Completo: Sávio Bortolini Pimentel
Dia do Nascimento: 9 de Janeiro de 1974
Local: Vila Velha (ES)
Posição: Atacante
Número de Partidas pelo Fla: 261
Número de Gols: 95


Histórico
Anos Time
1992-1997 Flamengo
1998-2002 Real Madrid
2003 Bordeaux
2003-2006 Real Zaragoza
2006 Flamengo
2007 Real Sociedad
2007 Levante
2008 Desportiva Capixaba
2008 Anorthosis (Chipre)

Títulos
Pelo Flamengo
Campeonato Brasileiro: 1992
Taça Guanabara: 1995 e 1996
Taça Rio: 1996
Campeonato Carioca: 1996
Torneio Kuala Lumpur: 1995
Copa Ouro Sul-Americana: 1996
Copa dos Clubes Brasileiros Campeões Mundiais: 1997
Pela Seleção
Torneio Pré-Olímpico: 1996
Jogos Olímpicos: Medalha de bronze em Atlanta 1996
Outros Clubes
Real Madrid
Liga dos Campeões da UEFA: 1998, 2000, 2002
Mundial Interclubes: 1998
Supercopa: 2001
Real Zaragoza
Copa do Rei: 2004
Supercopa: 2004
Estatísticas
Ano Jogos Gols Marcados
1992 3 2
1993 9 2
1994 61 16
1995 70 27
1996 41 19
1997 67 29
2006 10 0
Total 261 95

Retirado de "http://www.flamengo.com.br/flapedia/S%C3%A1vio_Bortolini_Pimentel"

quinta-feira, 8 de janeiro de 2009

Cássio - lateral bom de bola, mas injustiçado


Cássio comemora com Pet o gol do Tri em 2001

Cássio José de Abreu Oliveira
De Flapédia

Biografia

Cássio José de Abreu Oliveira, mais conhecido como Cássio, foi lateral-esquerdo do Flamengo, do Internacional e do Santa Cruz. Sua carreira começou nas categorias de base da Gávea, e foi lá que ele teve sua primeira chance profissional, entre os anos de 2000 e 2001.

Sua carreira ficou marcada por dois pênaltis. O primeiro deles, na final da Taça Guanabara de 2001, contra o Flu, quando bateu, o goleiro Murilo defendeu mas bola voltou para o gol, e ajudou o Fla a conquistar o título. Porém, da outra vez, não teve tanto sucesso. Cobrou mal o pênalti na decisão da Copa Mercosul, naquele mesmo ano, e acabou sendo considerado um dos responsáveis pela derrota rubro-negra na final.

Em 2002, transferiu-se para o Internacional, retornando ao Flamengo no ano seguinte. Pela equipe carioca, entrou em campo 86 vezes e marcou três gols. Foi campeão gaúcho pelo Internacional e carioca por duas vezes pelo Flamengo e também participou da conquista da Copa dos Campeões pelo time carioca. Em 2006, Cássio esteve no Santa Cruz, e também passou pela equipe do Marília.

Dados
Nome Completo: Cássio José de Abreu Oliveira
Dia do Nascimento: 8 de Janeiro de 1980
Nascimento: Rio de Janeiro (RJ)
Posição: Lateral-Esquerdo
Número de Jogos: 83
Número de Gols: 6

Histórico
Anos Time
2000-2001 Flamengo
2002 Internacional
2002 (MEX) Atlas
2003 Flamengo
2004 Marília
2004 Olímpia
2005 New England
2006 Santa Cruz
2007-2008 Adelaite United - Austrália

Títulos
Flamengo
Taça Guanabara: 2000
Taça Rio: 2001
Campeonato Carioca: 2000, 2001
Copa dos Campeões: 2001
Outros Clubes
Internacional
Campeonato Gaúcho: 2002
Estatísticas
Ano Jogos Gols Marcados
2000 1 0
2001 61 0
2002 4 0
2003 20 3
Total 86 3

Retirado de "http://www.flamengo.com.br/flapedia/C%C3%A1ssio_Jos%C3%A9_de_Abreu_Oliveira"

Uidemar - talento goiano


Uidemar Pessoa de Oliveira
De Flapédia

Biografia

O volante Uidemar nasceu no ano de 1965 na cidade de Dalmolândia. O jogador, ainda garoto, começou sua carreira no Goiás, no ano de 1989. Mas, pouco ficou em sua terra natal. Foi logo contratado pelo Flamengo, que ele defendeu por quatro anos: de 1989 a 1993.

Jogando ao lado de grandes nomes do futebol brasileiro, como Júnior e Zinho, o volante participou de momentos que entraram para a história do Clube de Regatas do Flamengo, como as conquistas da Copa do Brasil de 1990 e do Brasileirão de 1992.

Conhecido por sua forte marcação, Uidemar era o chamado volante de contenção daquele time rubro-negro. Sua função era defender e dar combate no meio-de-campo. Com isso, Zinho e Júnior ficavam livres para criar as jogadas de ataque. Deu certo, e o Rubro-Negro conquistou muitos títulos na época.

Dados
Nome Completo: Uidemar Pessoa de Oliveira
Dia do Nascimento: 8 de janeiro de 1965
Nascimento: Dalmolândia (GO)
Posição: Volante
Número de Partidas pelo Fla: 163
Número de Gols: 8

Histórico
Anos Time
1989 Goiás
1989-1993 Flamengo

Títulos
Pelo Flamengo
Campeonato Carioca: 1991
Taça Rio: 1991
Copa do Brasil: 1990
Campeonato Brasileiro: 1992

Fonte: FlaEstatísticas

Retirado de "http://www.flamengo.com.br/flapedia/Uidemar_Pessoa_de_Oliveira"

Aniversário de uma conquista - Taça Tricentenário de Belém/PA (65)

Mal começara o ano de 1916, o Flamengo já iria levantar o seu segundo troféu. Dois dias depois da conquista do primeiro, o time ganharia da Seleção do Pará na capital paraense.

Os campeões foram os seguintes:

C.R. Flamengo 2 x 0 Seleção do Pará
Taça Tricentenário de Belém - PA
08/01 - Estádio: ? - Belém - PA
Time: Baena, Píndaro, Nery, Cuthberth, Galo, Antonico, Curiol, Juvenal, Welfare, Batista e Paulo Buarque.
Gols: Batista e Antonico.
( C.R. Flamengo Campeão )

Fonte: http://www.flaestatistica.com/t1916.htm

Artigas - gaúcho campeão

Arturo da Silva Filho
De Flapédia

Dados
Nome Completo: Arturo da Silva Filho
Dia do Nascimento: 8 de Janeiro de 1915
Nascimento: Santana do Livramento(RS)
1° jogo: 30/07/1939 (Flamengo 2 x 1 Bangu)

Títulos

Pelo Fla
1939
. Campeão Carioca de Futebol

1940
. Campeão do Torneio Rio-São Paulo (NÃO OFICIAL)

1942
. Campeão Carioca de Futebol

1943
. Campeão Carioca de Futebol
. Campeão do Torneio Relâmpago do Rio de Janeiro

1944
. Campeão Carioca de Futebol

Estatísticas
Ano Jogos Gols
1939 11 0
1940 23 1
1941 37 0
1942 9 0
1943 30 1
1944 19 0
Total 129 2

Retirado de "http://www.flamengo.com.br/flapedia/Arturo_da_Silva_Filho"

quarta-feira, 7 de janeiro de 2009

Beto - mato-grossense campeão


Beto disputa bola com jogador do Vasco
Joubert Araújo Martins
De Flapédia

Biografia

Beto teve um início de carreira arrasador no Botafogo, quando foi peça fundamental na conquista do Campeonato Brasileiro de 1995. Com isso, rapidamente chegou à Seleção Brasileira e, jogando como titular, fez parte da conquista da Copa América de 1999.

Esteve no Napoli, da Itália, na temporada 1996/1997 e, no retorno ao Brasil, teve boa passagem pelo Grêmio antes de ir para o Flamengo.

No rubro-negro carioca, Beto ficou por quatro anos seguidos, interrompidos somente por uma curta estadia de seis meses no São Paulo em 2000. O jogador fez parte da inesquecível conquista do tri-campeonato carioca do Flamengo sobre o Vasco, entre 1999 e 2001.

No meio da temporada de 2002, Beto saiu do Flamengo e foi para o Fluminense. Mas, pouco ficou no tricolor. Acertou sua ida para o Japão, onde foi jogar pelo Consadole Sapporo. Voltou ao Brasil em 2003, vestindo a camisa do Vasco da Gama, clube onde havia afirmado que nunca jogaria. Pela equipe cruzmaltina, conquistou o quarto Campeonato Carioca de sua carreira.

Em 2004, voltou para o futebol japonês, aonde defendeu o Sanfrecce Hiroshima pelas duas temporadas seguintes. Não renovou contrato com o clube japonês para a temporada 2007 e, mais uma vez, retornou ao Brasil.

Em 2007, defendeu o Brasiliense, que disputava a Série B do Campeonato Brasileiro. Em 2008 foi contratado pelo Vasco da Gama e não rendeu o esperado, sendo dispensado pelo clube de São Januário no decorrer do Campeonato Brasileiro.

Em meados de 2008 foi contratado pelo Mixto MT para jogar apenas um amistoso contra o Corinthians, mas há a possibilidade dele continuar no Clube para os campeonatos de 2009.

Dados
Nome Completo: Joubert Araújo Martins
Data de Nascimento: 7 de janeiro de 1975
Local: Cuiabá (MT)
Posição: Volante
Nº Jogos: 177
N º Gols: 32

Histórico
Anos Time
1994-1996 Botafogo
1996-1997 Napoli
1997-1998 Grêmio
1998-2000 Flamengo
2000 São Paulo
2000-2002 Flamengo
2002 Fluminense
2003 Consadole Sapporo
2003-2004 Vasco
2004-2006 Sanfrecce Hiroshima
2007 Brasiliense
2008 Vasco da Gama
2008 Mixto MT

Títulos
Pelo Flamengo
Campeonato Carioca: 1999, 2000, 2001
Taça Guanabara: 1999, 2001
Taça Rio: 2000
Copa Mercosul: 1999
Copa dos Campeões: 2001

Por Outros Clubes
Botafogo

Campeonato Brasileiro: 1995

Grêmio

Copa do Brasil: 1997

Seleção Brasileira

Copa América: 1997

Vasco da Gama

Campeonato Carioca: 2003
Taça Guanabara: 2003

Estatísticas
Ano Jogos Gols Marcados
1998 30 7
1999 50 5
2000 21 3
2001 58 15
2002 18 2
Total 177 32

Retirado de "http://www.flamengo.com.br/flapedia/Joubert_Ara%C3%BAjo_Martins"
Page categories: Ex-Jogadores do Flamengo

Capitão: “Não troco o Fla por nenhum clube do Brasil”


Fábio Luciano adia a aposentadoria e fica na Gávea por mais um ano.

Um dos jogadores mais identificados com a torcida do Flamengo, o capitão Fábio Luciano garantiu hoje de manhã, na reapresentação do elenco, que jogará pelo rubro-negro na temporada 2009. Segundo o camisa 3, a idéia da aposentadoria foi adiada devido ao carinho que ele sente pelo Flamengo.

-“Tenho um carinho muito grande pelo Flamengo. Conversei com a minha família durante as férias e resolvi continuar. Pesou bastante o ótimo ambiente que tenho aqui. Estou adaptado à cidade, tenho muita amizade pelo grupo, que continua o mesmo, e ainda por cima recebi muito carinho da torcida. Tinha o planejamento de viver em outro lugar, mas decidi ficar. Estou muito feliz”.

Fábio Luciano elogiou Cuca e disse que espera um ano cheio de conquistas.

-“Todos estão de coração e braços abertos para receber o Cuca. Ele já trabalhou em grandes Clubes e sempre teve o apoio total dos jogadores. Aqui não vai ser diferente. Estamos juntos na luta por títulos. Serão quatro competições importantes e vamos entrar para ganhar em todas”.

Fonte: http://www.flamengo.com.br/portal//AgenciaFla/Capitao-Nao-troco-o-Fla-por-nenhum-clube-do-Brasil